Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Famosos se manifestam em apoio a Dani Calabresa

Colegas de profissão da atriz e outras personalidades se posicionaram nas redes sociais

Por Redação VEJA São Paulo 4 dez 2020, 15h33

Marcius Melhem, ex-diretor da Globo responsável pelo setor do humor da emissora, foi acusado de assédio sexual em outubro deste ano pela humorista Dani Calabresa. Nesta sexta-feira (4), uma reportagem de João Batista Jr, da revista Piauí, revelou em detalhes os episódios em que a artista foi assediada e diversos artistas reagiram nas redes sociais.

O humorista Danilo Gentili foi um dos primeiros a se manifestar sobre o caso pelo Twitter. Ele afirmou que sabia da história desde o início e falou que a colega foi corajosa.

Outro colega de profissão, o humorista Maurício Meirelles, também se manifestou.

Fábio Porchat parabenizou todas as mulheres que denunciaram Melhem.

A influencer Maria Bopp criticou o ex-diretor dizendo que o “discurso feminista é conveniente até que aponta pra sua cara”.

Apresentador da Globo, Felipe Andreoli repudiou os atos e ofereceu toda sua solidariedade à colega.

Relatos de assédio

De acordo com a reportagem da revista Piauí, no dia 5 de novembro de 2017, o elenco de Zorra celebrou a centésima edição da série em um bar com a presença de atores e roteiristas. Durante um karaokê, a atriz, junto com outros colegas, subiu ao palco e Melhem se juntou a eles.

Enquanto dançava, Dani tentava se afastar do ex-diretor global, mas ele insistia em forçar o contato físico. Ainda no palco, o ex-diretor tentou puxar a cabeça dela em sua direção e forçar um beijo, mas a atriz se desvencilhou e desceu do palco.

Posteriormente, Dani Calabresa foi ao banheiro e, ao sair, se deparou novamente com Melhem, que tentou agarrá-la e forçou outro beijo. O relato ainda diz que ele lambeu o rosto da atriz e que, em seguida, tirou o pênis para fora da calça. Desesperada, ela conseguiu fugir da situação em direção ao salão do bar. A humorista teve uma crise de choro e foi consolada por outros dois colegas, Luis Miranda e George Sauma.

Três dias após o episódio, também foi relatado que o ex-diretor provocou Calabresa nos ensaios de novos episódios do Zorra. Maria Clara Gueiros tentou defender a amiga e pediu para que o chefe a deixasse em paz. Melhem teria ignorado o apelo. “Eu não tenho culpa do que aconteceu! Quem mandou você estar muito gostosa?”.

De acordo com a reportagem, foram ouvidas 43 pessoas, sendo duas vítimas de assédio sexual, sete vítimas de assédio moral e três vítimas dos dois tipos de assédio por parte de Marcius Melhem.

Marcius Melhem negou as acusações. “Qualquer pessoa que tenha convivido comigo sabe que eu jamais cometeria algum ato de violência e que nunca forcei ninguém a nada. Mas parece que o único objetivo está sendo bem-sucedido: a minha condenação na opinião pública”.

A emissora foi procurada algumas vezes sobre as acusações, mas demorou a tomar uma atitude, o que deixou o núcleo de humor frustrado. Em agosto deste ano, Melhem e Globo romperam o contrato de 17 anos, o que aconteceu sem maiores explicações sobre as acusações de assédio que rondam o nome do humorista.

+Assine a Vejinha a partir de 5,90

Continua após a publicidade
Publicidade