Clique e assine por apenas 6,90/mês

Abrir mão do controle

Felipe Ispério, músico do Duo eFeGe, fala sobre seu caminho de busca espiritual e a importância da música para ficar presente

Por Helena Galante - 11 Maio 2020, 00h10

Em busca de estabilidade, você já tentou controlar ab-so-lu-ta-men-te tudo? Mas e quando cai a ficha que o controle, na verdade, nunca deu conta do recado? Essa foi uma das descobertas de Felipe Ispério, músico do Duo eFeGe. “Eu tinha um perfil extremamente controlador, de querer arquitetar tudo para ficar seguro. Hoje eu não faço isso, só espero chegar o momento, o agora”, contou Felipe para Helena Galante no episódio #48 do podcast Jornada da Calma. A mudança de perspectiva veio de maneira brusca, após um episódio de depressão. “Estava muito fechado num momento da vida em que nada fazia muito sentido. Mas através das redes sociais cheguei em mensagens de autoajuda que mexeram comigo.”

O caminho espiritual emergiu acompanhado da música. Depois do cavaquinho vieram o violão e as composições. “Eu sinto que as músicas já estão prontas em algum lugar, eu só recebo.” Na faixa Oração, o pedido é por mais sensibilidade: “Feche os olhos e abra o coração, agradeça a tudo que existir. Cada detalhe te trouxe até aqui.” Felipe fala ainda sobre sua companheira Gabrielly Batista e como fica o relacionamento de casal durante a quarentena. “Cantar é uma forma de cura para as relações. quando a gente encontra dificuldades, a gente acaba tratando com música.” No fim do episódio, Felipe e Gabi dão uma palhinha de mais uma faixa: “A gente quer levar sempre o amor que a gente tem”.

Publicidade