Imagem Blog

Tudo de Som

Novidades da música, clipes, entrevistas, artistas, listas e shows, por Tomás Novaes.
Continua após publicidade

Dezesseis anos depois, SP Funk retorna com single e álbum para 2023

"Hoje acreditamos que temos um material à altura da nossa discografia", disse Mr. Bomba em entrevista à Vejinha

Por Tomás Novaes
16 dez 2022, 12h08

Nesta semana, uma notícia especial movimentou o universo do rap nacional. Trata-se do retorno do SP Funk, grupo precursor do hip hop paulista que entrou em hiato dezesseis anos atrás.

+ Batekoo alcança novo patamar com festival na Neo Química Arena

Formado em 1995 originalmente por Mr. Bomba, Tio Fresh, Maionezi que atualmente mora na Irlanda e DJ QAP — que faleceu em agosto deste ano, vítima de um câncer —, o conjunto fez história com o disco de estreia O Lado B do Hip-Hop (2001), que inspirou uma geração de rappers nacionais.

Faixas como Enxame, com participação de Sabotage, e Viaje impulsionaram a carreira do quarteto, que completou a discografia com Tá Pra Nóiz (2006), que inclui parcerias com Negra Li e Mr. Catra.

Continua após a publicidade

“A gente fala que é a volta porque é a retomada dos lançamentos. A gente nunca parou de compor e de acompanhar a cena”, explica Marcelo Menezes, o Mr. Bomba. A nova fase é inaugurada pelo single Por Acaso, com participação de Mc Jota, Neg e Rappin Hood, antecedendo o novo disco, Fita Demo, previsto para 2023.

“Esse período todo serviu para a gente se atualizar, e hoje acreditamos que temos um material à altura da nossa discografia”, afirma Marcelo. “A saída do Maionezi e a morte do DJ QAP só serviram para a gente ver que o sonho e a vontade continuava ali, então eu e o Fresh decidimos que era a hora”, completou.

Mr. Bomba também comenta sobre as transformações da cena musical brasileira das últimas décadas. “Quando a gente começou, o funk de São Paulo era o hip hop. Os cariocas tinham o miami bass, que virou o funk carioca, e os paulistas tinham o rap. E são todos de um pai só: o funk original, do James Brown. Hoje estamos em um momento em que o trap está dominando e o funk está se misturando com tudo”, diz.

Continua após a publicidade

A nova sonoridade da dupla bebe da fonte da cena de trap e rap atual, buscando não soar ultrapassada. “Nós entendemos que o futuro está apontando para um som híbrido, mesclando vários estilos ao mesmo tempo. O SP Funk sempre teve um propósito de inovar: o nosso estilo é fazer algo novo e ousado”, sintetiza Marcelo.

+Assine a Vejinha a partir de 9,90. 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.