Imagem Blog

Vinho e Algo Mais Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Por Marcelo Copello
Especialista na bebida, Marcelo Copello foi colunista de Veja Rio. Sua longa trajetória como escritor do tema inclui publicações como a extinta Gazeta Mercantil e livros, entre eles "Vinho e Algo Mais" e "Os Sabores do Douro e do Minho", pelo qual concorreu ao prêmio Jabuti
Continua após publicidade

Consumo de vinho aumenta durante a quarentena

Em casa, os fãs da bebida têm ampliado o número de pedidos online

Por Marcelo Copello
Atualizado em 20 jan 2022, 14h32 - Publicado em 31 mar 2020, 19h51

O novo coronavírus está destruindo a economia mundial e a indústria do vinho não deixou de ser atingida. Em um triste momento em que se perde dos compradores da bebida — restaurantes, bares e lojas são diariamente fechados em todo o mundo–, o e-commerce surge como uma possível  luz no fim do túnel.

Segundo a assessoria da plataforma MyCashBack, que apoia empresas como Americanas, Ricardo Eletro, Carrefour, Fastshop, Casas Bahia, Saraiva e Extra, enquanto lojas físicas não podem operar, as vendas eletrônicas alçam voo. Segundo dados da própria plataforma, registrou-se em março crescimento de 200% do tráfego e em pedidos, em comparação com o mesmo período de 2019, bem como um aumento de 60% em relação ao mês anterior. O vinho, claro, vem junto e se destaca no mundo entre os produtos mais comprados online nesta crise.

Nos Estados Unidos, maior mercado mundial para quase tudo, os pedidos digitais de vinho dispararam. De acordo com o site The Drinking Business, a venda de bebidas em geral empinaram e o vinho foi o campeão de solicitações em casa. Na semana terminada em 14 de março, as comprar aumentaram 27,6% nos vinhos, 26,4% nos destilados e 14% nas cervejas. As embalagens maiores, como bag-in-box de três litros, cresceram mais, 53%. Os vinhos em lata, partindo de uma base menor, cresceram vertiginosos 95%!

Segundo a revista alemã Meiningers Wine Business International, o site americano wine.com teve suas vendas dobradas na semana passada e triplicadas durante fim de semana. A Meiningers também relata que no, Reino Unido, a rede Majetic Wine teve seu site travado, tamanho o tráfego de pedidos, com aumento de 44% nas garrafas italianas e 68% nos francesas.

Nossos vizinhos argentinos também parecem estar surfando nessa onda. Embora existam poucas fontes com números precisos, o site iprofesional.com aponta que a empresa Bodegas Bianchi teve sua carteira na internet incrementada em 50% nos últimos dias. Certamente, colorou para a subia a gratuidade do frete grátis em todo o território do país.

Continua após a publicidade

O país europeu mais afetado pelo vírus, a Itália, registrou a maior alta nas vendas online no segmento. A Meiningers revela o crescimento no site Winelivery em cidades como Roma (240%), Milão (230%), Bergamo (220%) e Florença (190%). Nesse polpudo acréscimo, outro detalhe chama a atenção: o compradores estão mais generosos com colocar a bebida no carrinho digital, comprando  garrafas mais caras. Será que um sentimento apocalíptico afetou os italianos?

No Brasil, são poucos números disponíveis. Adriano Miolo, diretor-superintendente da Miolo, as vendas on-line da vinícola nascida no Rio Grande do Sul estão estáveis. Para Adilson Carvalhal Júnior, presidente da Associação Brasileira de Exportadores e Importadores de Alimentos e Bebidas (ABBA), “o momento é muito ruim”, já que os restaurantes são um dos principais canais de distribuição para os rótulos importados.

Nas grandes redes varejistas, porém, o momento é positivo. O especialista Carlos Cabral, consultor do Grupo Pão de Açúcar, garante que o mercado está forte. “Estamos vendendo muito”, comemora. Embora ainda sem números oficiais, Cabral afirma que as metas do grupo de vendas da bebida foram batidas e estão maiores se comparadas ao mesmo período do ano passado sem apresentar um índice de crescimento.

ALERTA

O problema pode vir em seguida, já que a reposição dos estoques não será fácil. Com o dólar está nas alturas, o fim da ST (Substituição Tributária) em São Paulo pode estimular aumentos assim como a velocidade de reposição dos estoques pode ser afetada.

Só me resta sugerir: aproveite para comprar agora que a maioria das lojas de vinho está com frete grátis, promoções e com preço ainda não majorado. Tente transformar seu confinamento em momentos agradáveis com a família. Mas lembre-se: beba com moderação. Ah, e quem já abriu um vinho neste isolamento que atire a primeira rolha!

Valeu pela visita! Volte sempre e deixe seu comentário. Aproveite para curtir minha página no Facebook e minhas postagens no Instagram.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.