Imagem Blog

Arte ao Redor

Uma curadoria de exposições, cursos e novidades dos museus, galerias e institutos culturais de São Paulo
Continua após publicidade

Labirinto modernista: exposição Cem Anos Modernos é inaugurada no MIS

Mostra com curadoria do diretor Marcello Dantas e do compositor José Miguel Wisnik aborda a Semana de 22 sob um novo e eclético prisma

Por Tomás Novaes
Atualizado em 10 Maio 2023, 08h30 - Publicado em 10 jun 2022, 06h00

Em um ano marcado por celebrações e resgates da Semana de Arte Moderna de 1922, abordar sob um prisma novo o importante momento da história brasileira é um desafio. E essa é a proposta da exposição no Museu da Imagem e do Som (MIS), apresentada pelo governo do estado, Cem Anos Modernos.

+ Exposição sobre trançado japonês centenário chega à Japan House

O conceito que guia a mostra, com curadoria do diretor Marcello Dantas e do compositor José Miguel Wisnik, é o do labirinto. Sem um trajeto certo, o visitante terá uma experiência única, a depender do caminho que decidir percorrer. Cada uma das 25 salas apresenta um recorte do tema, citando artistas que reverberam transformações na cultura brasileira — desde Anita Malfatti, a pintora, até Anitta, a cantora.

Imagem mostra representação 3D de maquete de espaço com diversas salas e uma sala redonda, no canto direito
Representação da arquitetura da exposição: labirinto cultural. (MIS/Divulgação)

Exibido no local, o longa Macunaíma, adaptado da obra de Mário de Andrade e lançado pelo cineasta Joaquim Pedro de Andrade em 1969, serviu de inspiração para o quadro Re-Antropofagia (2018), de Denilson Baniwa. Uma reprodução dele está presente em um dos pontos do museu — os ambientes misturam épocas com linguagens diferentes.

Todos os caminhos levam ao Espaço Redondo, recinto envolvido por uma projeção de 360 graus do interior do Teatro Municipal, testemunha dos acontecimentos da semana. Museu da Imagem e do Som (MIS). Avenida Europa, 158, Jardim Europa, ☎ 2117-4777. → Ter. a dom., 11h/19h. Até 28/8. R$ 30,00. Grátis às terças-feiras. mis-sp.org.br.

Imagem mostra desenho de cabeça de homem negro em bacia, ao lado de livro com o título
A obra Re-Antropofagia (2018), de Denilson Baniwa. (MIS/Reprodução)

+Assine a Vejinha a partir de 12,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 15 de junho de 2022, edição nº 2793

Continua após a publicidade
Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.