Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Arte ao Redor Mostras selecionadas estão reunidas nesta página

Labirinto modernista: exposição Cem Anos Modernos é inaugurada no MIS

Mostra com curadoria do diretor Marcello Dantas e do compositor José Miguel Wisnik aborda a Semana de 22 sob um novo e eclético prisma

Por Tomás Novaes Atualizado em 10 jun 2022, 11h00 - Publicado em 10 jun 2022, 06h00

Em um ano marcado por celebrações e resgates da Semana de Arte Moderna de 1922, abordar sob um prisma novo o importante momento da história brasileira é um desafio. E essa é a proposta da exposição no Museu da Imagem e do Som (MIS), apresentada pelo governo do estado, Cem Anos Modernos.

+ Exposição sobre trançado japonês centenário chega à Japan House

O conceito que guia a mostra, com curadoria do diretor Marcello Dantas e do compositor José Miguel Wisnik, é o do labirinto. Sem um trajeto certo, o visitante terá uma experiência única, a depender do caminho que decidir percorrer. Cada uma das 25 salas apresenta um recorte do tema, citando artistas que reverberam transformações na cultura brasileira — desde Anita Malfatti, a pintora, até Anitta, a cantora.

Imagem mostra representação 3D de maquete de espaço com diversas salas e uma sala redonda, no canto direito
Representação da arquitetura da exposição: labirinto cultural. MIS/Divulgação

Exibido no local, o longa Macunaíma, adaptado da obra de Mário de Andrade e lançado pelo cineasta Joaquim Pedro de Andrade em 1969, serviu de inspiração para o quadro Re-Antropofagia (2018), de Denilson Baniwa. Uma reprodução dele está presente em um dos pontos do museu — os ambientes misturam épocas com linguagens diferentes.

Continua após a publicidade

Todos os caminhos levam ao Espaço Redondo, recinto envolvido por uma projeção de 360 graus do interior do Teatro Municipal, testemunha dos acontecimentos da semana. Museu da Imagem e do Som (MIS). Avenida Europa, 158, Jardim Europa, ☎ 2117-4777. → Ter. a dom., 11h/19h. Até 28/8. R$ 30,00. Grátis às terças-feiras. mis-sp.org.br.

Imagem mostra desenho de cabeça de homem negro em bacia, ao lado de livro com o título
A obra Re-Antropofagia (2018), de Denilson Baniwa. MIS/Reprodução

+Assine a Vejinha a partir de 12,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 15 de junho de 2022, edição nº 2793

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês