Imagem Blog

VEJA SÃO PAULO 30 anos

Por Blog
Os temas, reportagens e fotos que a Vejinha estampou em suas páginas para contar a história das últimas três décadas na capital
Continua após publicidade

Trovadores delivery

Na São Paulo de 1986, quem estivesse comemorando um aniversário poderia ser surpreendido por um serviço inusitado. Fantasiados de palhaços e com bexigas nas mãos, animados personagens apareciam para “entregar” poesias e declamar textos aos homenageados do dia. A surpresa era feita pelos grupos de telegrama animado, que trouxeram à cidade “um jeito original e alegre de […]

Por Thiago Ramaciotti
Atualizado em 26 fev 2017, 14h56 - Publicado em 28 ago 2015, 13h49
IMG-20150828-WA0001

Integrantes do grupo Mensagem, Telegrama e Cia.

Na São Paulo de 1986, quem estivesse comemorando um aniversário poderia ser surpreendido por um serviço inusitado. Fantasiados de palhaços e com bexigas nas mãos, animados personagens apareciam para “entregar” poesias e declamar textos aos homenageados do dia.

A surpresa era feita pelos grupos de telegrama animado, que trouxeram à cidade “um jeito original e alegre de mandar mensagens”, como anunciava a matéria de 20 de março daquele ano de VEJA SÃO PAULO.

Para contratar o serviço, era necessário somente ligar para grupos como o Mensagem, Telegrama e Cia., descrever as características do destinatário e  informar horário, local e tipo de apresentação. Eles costumavam aparecer em casamentos, despedidas de solteiro, formaturas e até hospitais.

30 anos poetas-page-001

Continua após a publicidade

“Benedito Silveira Filho, 44 anos, dono do 9° Cartório de Protestos da cidade, por exemplo, achou ‘fantástico e de ótimo astral’ ter recebido, logo após uma operação no esôfago, ainda no hospital, uma mensagem de breve recuperação recitada por uma bruxa chamada Maga”, dizia o texto sobre a surpresa. “O único problema é que eu não podia rir”, brincava o homenageado.

No ano anterior, cerca de 300 apresentações haviam sido feitas por grupos de telegramas animados. A ideia era uma adaptação dos chamados singing telegram, à época famosos nos EUA e na Europa.

O trabalho era feito por atores profissionais e custava cerca de “150 cruzados por um príncipe encantado, uma dançarina de cancã, uma mulher-coração, um arlequim ou um encharcado mergulhador”.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.