Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Vocalista da Mastruz com Leite diz que foi assediada enquanto dormia

Larissa Ferreira afirma que estava com marido ao lado quando colega de banda a tocou de forma indevida

Por Redação VEJA São Paulo 5 jan 2022, 11h39

Larissa Ferreira, vocalista da Mastruz com Leite, revelou um suposto assédio que teria sido cometido por um colega de banda. O homem, cujo nome não foi revelado, se hospedou na casa de Larissa e do marido após o grupo sair para beber junto.

“Eu não tenho costume de beber. Eu fico em ‘coma alcoólico’, e o Jean [marido] também. Mas aí, beleza, aconteceu. Se não me engano foi uma hora da manhã que a gente foi dormir e esse homem ficou no nosso quarto. Já começa errado por aí”, introduz a cantora em vídeo publicado nos Stories do Instagram.

“Ele ficou na redinha da minha filha, deitado no nosso quarto. Sendo que era pra ter tido coerência, já que aqui tem mais dois quartos”, disse Larissa. 

+ Após 24 casos de “flurona”, SP fará testes simultâneos de gripe e Covid

“Eu senti uma pessoa tocando em mim, tocando no meu corpo, beijando o meu rosto, me cheirando e segurando minha mão nas partes íntimas dela. Este homem fez isso comigo. E eu deitada na minha cama, no meu quarto, com meu marido do lado. O Jean do meu lado. E a pessoa abusou de mim, estava me assediando, um companheiro de trabalho”, falou ela. 

Continua após a publicidade

Larissa também disse que não alertou o marido por medo da reação dele, mas que o suposto abusador saiu de perto dela após ela se mexer de forma brusca.

+ “Me arrependo da culpa”, diz Luana Piovani sobre traição a Rodrigo Santoro

“Depois que esse homem saiu, eu levantei, fiquei calada e eu estava só pensando se eu ia dizer isso para Jean ou não. Não sabia se ele ia me entender, como era que ia acontecer, se o Jean ia atrás, tirar satisfação. Só sei que fiquei com uma crise grande de ansiedade”, completou, chorando. 

View this post on Instagram

A post shared by Mastruz com Leite (@mastruzcomleiteoficial)

A Polícia Civil disse que apura a denúncia de crime contra a dignidade sexual. “O Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV) já foi acionado e direcionou as investigações para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Fortaleza”, informou em nota. 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês