Continua após publicidade

Amigos e fãs despedem-se de João Donato durante velório

O filho Donatinho e o músico Jards Macalé destacam o bom humor e talento do compositor

Por Agência Brasil
Atualizado em 22 Maio 2024, 15h48 - Publicado em 18 jul 2023, 15h35

Parentes, amigos e fãs prestam homenagem ao cantor, compositor, multi-instrumentista e arranjador João Donato, que morreu na madrugada desta segunda-feira (17), aos 88 anos, de infecção pulmonar. Ele foi internado na semana passada na Casa de Saúde São José, no Humaitá, zona sul do Rio.

+Advogada de mulher que denunciou Prior por estupro é atacada nas redes sociais

O velório no Theatro Municipal começou às 11h e seguirá até as 15h. Depois, o corpo do artista será levado para o Memorial do Carmo, no Caju, região portuária da cidade, onde será cremado em cerimônia restrita a parentes e amigos.

Donatinho, filho do artista , disse que não tinha como seguir uma carreira diferente do pai diante da intensa convivência musical desde menino. Não deu tempo de escolher outra coisa. Quando eu vi, já estava dentro. Foi natural para mim. Quando eu vi, já estava fazendo.”

Continua após a publicidade

A diversidade musical de Donato também era marcante. “A gente ouvia de tudo, e ele sempre me mostrou música boa. Ouvia música latina, jazz, bossa-nova. Era divertido.”

Donatinho guarda boas lembranças da convivência com o pai: “Uma alegria. Donato era uma eterna criança, um cara que estava sempre alto astral, contando piada e dando risada.”

Para ele, o legado deixado pelo pai não tem tamanho. “Uma das coisas do Donato é que ele é totalmente singular. É um cara que tem uma música única, não tem ninguém que se pareça com ele. As vezes, você pensa em um artista e lembra de outro da mesma geração ou do mesmo som. O Donato tem uma coisa que é só dele. Você ouve as primeiras notas e diz: ‘é João Donato’. A coisa mais marcante dele é essa assinatura”, enfatizou.

Continua após a publicidade

Sinfônica

E, seguindo o comportamento de Donato, em velório de músico, mais uma homenagem em grande estilo: integrantes da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal fizeram uma pequena apresentação às 11h45, com os músicos William Doyle (violino); Jocelynne Cardenas (viola); Pablo de Sá (violoncelo) e Tony Botelho (contrabaixo). Eles tocaram músicas de Mozart (Segundo movimento da Eine Kleine Nachtmusik e Ave Verum) e as parcerias do próprio João Donato, A Rã, Lugar Comum e A Paz.

Donato é um dos maiores músicos brasileiros e desenvolveu trabalhos admirados e reconhecidos dentro e fora do Brasil. A sua criatividade era tanta que estendeu suas composições e participações com outros artistas a diversos gêneros musicais entre os quais, o jazz, samba e ritmos caribenhos. É considerado também como um dos mais importantes representantes da bossa nova junto com João Gilberto, Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

“O João Gilberto pegou aquela batida do Geraldo Pereira. João Gilberto dizia isso. Agora a harmonia, eles se reuniam – Johnny Alf, João Donato e João Gilberto. Johnny Alf passava para ele a harmonia, e ele passava para o João Gilberto que transportava para o violão”, disse o sambista e radialista Rubem Confete, parceiro de Donato à Agência Brasil.

Continua após a publicidade

Inquieto na criação, em plena pandemia de covid-19, Donato desenvolveu um disco com o parceiro Jards Macalé. Em princípio, quem deu o nome do disco foi Donato, e seria Síntese do Lance. “Nesse momento cheguei à conclusão de que Síntese do Lance na música é o próprio João Donato. Fizemos um disco que seria um encontro. Ele botava alguma coisa de música e eu tentava botar uma letra ou completar a música dele e vice e versa”, contou Macalé.

O compositor Jards Macalé e a viúva de João Donato, Ivone, abraçam-se na despedida do músico – Tânia Rêgo/Agência Brasil

“O João tinha um humor especial. As vezes ele ficava quieto só observando e de repente dava uma tirada de humor com a cara mais séria do mundo, que era inacreditável. Enfim, gostoso de estar com ele. Aprendi muita coisa. Aquele balanço da mão esquerda e aquela sutileza da mão direita. Joao é músico o tempo inteiro e fortaleceu em mim a vontade de ser músico e fazer música o tempo inteiro”, disse Macalé.

Continua após a publicidade

Autor de composições de sucesso como Amazonas e A Rã, Lugar Comum, Simples Carinho e Nasci para Bailar foi arranjador em discos de Gilberto Gil e Gal Costa.

+Marlene Mattos se defende nas redes sociais: “Meu jeito de ser”

“Ele nunca teve amarras, limites. Sempre foi um cara que se dá bem em qualquer onda. Sabia tirar proveito de qualquer situação musical”, disse Donatinho.

Continua após a publicidade

Já tendo experimentado diversos gêneros musicais, João Donato fez com o filho um disco com pegada eletrônica que é o Sintetizamor. Agora, Donatinho termina o projeto de mais um trabalho que não deu tempo de ser concluído com o pai em vida. “Este agora é o Sinteriza Dois, que é um pouco mais do universo dele, um pouco mais latino. Estou terminando e deve sair no ano que vem”, revelou.

“Tenho uma alegria de poder ter também vivido uma vida musical com ele. A gente fez um disco junto que inclusive foi premiado aqui no Theatro Municipal mesmo”, completou.

Biografia

O artista nasceu no dia 17 de agosto de 1934, em Rio Branco. Aos 11 anos, mudou-se com a família do Acre para o Rio de Janeiro, onde começou a desenvolver a sua carreira. Talvez por influência do pai, que tocava bandolim, e da mãe, que cantava, a música surgiu cedo na vida de João Donato, que, aos 5 anos, já tocava acordeon.

Jovem no Rio, participava de festas musicais em colégios da Tijuca, na zona norte da cidade, e aos 15 anos começou a frequentar as chamadas jam sessions realizadas na casa do cantor Dick Farney e no Sinatra Farney Fã Club.

A primeira gravação em disco foi como músico da banda do flautista Altamiro Carrilho. Foi nessa época também que começaram os contatos com outros artistas importantes como o cantor Lúcio Alves e passou a ser conhecido além do Brasil, inclusive pelo trompetista e cantor de jazz norte-americano Chet Baker.

Nos anos 50, participou do programa de música nordestina Manhãs da Roça, comandado pelo cantor e compositor paraibano Zé do Norte, na Rádio Guanabara. Donato chegou a dizer que a carreira dele no rádio tinha começado com Zé do Norte.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.