Clique e assine por apenas 5,90/mês

PM escolta carro para família salvar criança com transplante em SP

Pais de Heitor tinham 2h30 para chegar ao hospital para autorizar o transplante do menino, de dois anos. Assista

Por Redação VEJA São Paulo - 4 fev 2020, 12h33

A família de Heitor Steyanatto Lima conseguiu chegar a tempo para autorizar e acompanhar o transplante de coração do menino de 2 anos após ter a ajuda da Polícia Militar. Os pais da criança estavam em Guarujá, no litoral de São Paulo, quando receberam a notícia de que tinham 2h30 para chegar a um hospital de São Paulo para autorizar o transplante do filho. O trânsito na subida do litoral, no entanto, estava congestionado — e o final feliz só aconteceu graças à ação da PM, que escoltou o veículo em todo o trecho da rodovia. As informações são do G1.

O vídeo da escolta foi divulgado na página oficial da Polícia Militar do Estado de São Paulo no domingo (2). O caso, no entanto, aconteceu no começo de 2020. Os oficiais faziam um patrulhamento pela Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, no dia 2 de janeiro, quando a família resolveu pedir ajuda para uma equipe que estava com uma viatura estacionada na altura do km 274, em Cubatão. Na parada, o massoterapeuta Renato Lima, de 45 anos, relatou temer não chegar a tempo ao Instituo do Coração (Incor), em São Paulo, onde o filho estava internado. Assista: 

“O pequeno Heitor já havia passado por quatro cirurgias de peito aberto e o tempo máximo que o coração poderia esperar antes do transplante era de 2h30”, escreveu a Polícia Militar no Facebook. O menino já estava internado há dois meses e meio aguardando o transplante. Os pais do menino foram para o Guarujá após uma oferta do tio de Heitor, que garantiu que cuidaria da criança enquanto os familiares descansassem. A criança nasceu com atresia tricúspide, uma má formação que prejudica a circulação de sangue no coração.

Após o pedido de ajuda da família, o cabo Ferreti e os soldados Renno, Diemes e Mathias se deslocaram para auxiliar a família e abriram caminho pela rodovia para que Renato e a mulher pudessem chegar até o hospital. Eles escoltaram o carro por todo o trajeto nas rodovias Padre Manoel da Nóbrega e Imigrantes. “Depois de todo o ocorrido, o senhor Renato informou aos policiais que deu tudo certo, que a cirurgia foi um sucesso”. O menino hoje tem previsão de retornar para casa em até um mês.

Continua após a publicidade
Publicidade