Clique e assine por apenas 6,90/mês

Cinco patrimônios históricos diferentões da capital

Órgão público certifica objetos e construções com valor histórico e artístico para a cidade

Por Maurício Xavier - 3 Feb 2017, 18h28

Colaborou Gabriel Bentley

O tombamento de uma construção por conselhos de preservação histórica como o Conpresp (municipal) ou o Condephaat (estadual) garante não só o reconhecimento de sua importância arqueológica ou artística, mas também proteção.

Qualquer alteração em suas características físicas deve ser autorizada pelo departamento regulador. Casarões e monumentos são alvo recorrente desse tipo de iniciativa na capital. No entanto, há por aqui espaços mais inusitados que receberam a comenda. Confira alguns.

TERREIRO AXÉ ILÊ OBÁ
Construção: 1960
Tombamento: 1990
Endereço: Rua Azor Silva, 7, Vila Fachini
Descrição: construído pelo babalorixá Caio Egydio de Souza Aranha, o espaço de 400 metros quadrados no Jabaquara foi reformado em 1977

GARAGEM AMÉRICA
Construção: 1952-1958
Tombamento: 2016
Endereço: Rua Riachuelo, 209, Sé
Descrição: com 500 vagas, foi o primeiro estacionamento coletivo de grandes proporções na capital, projetado pelo arquiteto Rino Levi

POSTO DE GASOLINA DA ACLIMAÇÃO (foto)

Construção: 1930
Tombamento: 2015
Endereço: Avenida Aclimação, 11, Aclimação
Descrição: um dos dois sobreviventes da rede de estabelecimentos do tipo, com fachada neocolonial, que se espalhava pela cidade

TÚMULO DE JÚLIO FRANK
Construção: 1841
Tombamento: 1978
Endereço: Largo São Francisco, s/nº, Sé
Descrição: fundador da sociedade secreta Burschenschaft, o professor foi enterrado no pátio da Faculdade de Direito da USP

SINO DA INDEPENDÊNCIA
Construção: 1820
Tombamento: 1972
Endereço: Largo Padre Péricles, Perdizes
Descrição: usado para divulgar a Independência do Brasil, em 1822, tem 1,75 metro de altura e 2 toneladas de bronze e ouro

Publicidade