Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Museu Judaico de São Paulo tem pré-abertura após sete anos em obras

A inauguração oficial do centro de quatro andares, que demandou investimento estimado em 29 milhões de reais, ocorrerá apenas em 2020

Por Carolina Giovanelli Atualizado em 18 nov 2019, 12h38 - Publicado em 15 nov 2019, 06h00

Os paulistanos poderão, finalmente, conhecer o Museu Judaico de São Paulo, na região central. Em obras desde 2012, e após diversos adiamentos de abertura devido à crise econômica, o endereço não contará ainda com uma inauguração oficial (que deverá ocorrer no ano que vem). Entretanto, receberá a exposição Judeus e Xangai: Famílias Europeias Refugiadas, nas Décadas de 1930 e 1940. Com entrada gratuita, a mostra, que reúne documentos e 42 painéis, fica em cartaz do próximo dia 27 até 26 de janeiro e vai ocupar o térreo, na área da sinagoga restaurada, batizada de templo Beth-el e fundada em 1929.

Nesse período, para conhecer todas as instalações do centro de quatro andares, que demandou um investimento estimado em 29 milhões de reais, é preciso fazer a visita guiada. “Mais para a frente, teremos cafeteria e lojinha”, afirma Roberta Sundfeld, diretora executiva do museu. O espaço ainda precisa de ajuda financeira para ter seu projeto concluído. Faltam, por exemplo, as vitrines expositivas e dois projetores para imagens na parte interna da cúpula. Esses últimos deverão ser comprados por meio de doações via crowdfunding.

Museu Judaico de São Paulo. Rua Martinho Prado, 128, Bela Vista, ☎ 3258-1396. Ter. a dom., 10h às 16h.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 20 de novembro de 2019, edição nº 2661.

Continua após a publicidade
Publicidade