Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Movimento por limpeza do Rio Pinheiros faz ação no sábado (9)

Em março deste ano, grupo colocou emojis infláveis nas águas para alertar sobre o descaso com a poluição

Por Redação VEJA São Paulo 6 jun 2018, 12h27

O Movimento Volta Pinheiros fará uma ação de conscientização neste sábado (9), no Parque do Povo, no Itaim Bibi, para cobrar a limpeza do Rio Pinheiros. A expectativa dos organizadores é de que 500 pessoas compareçam ao evento, que começa às 9h.

Em março deste ano, o grupo colocou emojis infláveis em formato de cocô nas águas do rio, na altura das pontes Octávio Frias de Oliveira e Eusébio Matoso, para alertar sobre o descaso dos políticos com a poluição. Também pendurou faixa na ponte Cidade Jardim pedindo ao então governador Geraldo Alckmin mais atenção à região: “Geraldo Alckmin, olhe para o nosso rio, por favor“, mostrava o recado.

Na ação deste sábado, o grupo pretende reunir duzentos estudantes da escola municipal Alcides Gonçalves Etchegoyen, do Jardim Arpoador, e outros cem jovens da FMU.

No local, serão realizadas oficinas de arte e reciclagem. Por volta das 11h, será enterrada uma cápsula do tempo para ser aberta apenas em 2020 com até 500 sugestões para a despoluição do Rio Pinheiros.

“É um esgoto a céu aberto”, disse Marcelo Reis, que criou o Movimento Volta Pinheiros em 2017 com outros publicitários. O objetivo do grupo é instaurar uma onda de engajamento para que se elabore projeto para um rio saudável aos paulistanos.

O publicitário Marcelo Reis: campanha para despoluir o Rio Pinheiros Leo Martins/Veja SP

No fim de semana, eles também pretendem exibir “possíveis desculpas esfarrapadas” dos políticos para não se envolverem com o trabalho de limpeza do rio. “Elas são bem divertidas”, diz Reis.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade