Clique e assine por apenas 5,90/mês

Masp demite 13% do quadro de funcionários por causa da pandemia

Ao todo, 21 pessoas foram desligadas da instituição

Por Redação VEJA São Paulo - 20 jul 2020, 11h47

O Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, enviou nota à imprensa em que afirma que cortou 13% do quadro de funcionários em razão dos efeitos causados pela pandemia do coronavírus. Ao todo, 21 pessoas foram desligadas da instituição.

O museu, um dos principais do país, está fechado para visitação desde o dia 17 de março. “Tentamos manter preservados todos os postos de trabalho o máximo possível, porém, diante do extenso período em que o museu se encontra fechado e das perspectivas pouco favoráveis de retomada, tanto em termos de público como de receita, um corte das despesas com a folha de pessoal tornou-se inevitável. Por isso, o quadro de funcionários foi reduzido em 13%”, diz o comunicado.

Confira a nota na íntegra:

Comunicado à imprensa

Frente ao contexto bastante adverso gerado pela pandemia de covid-19, o Museu de Arte de São Paulo tem empenhado todos os esforços na redução de despesas para manter a saúde financeira e operacional da instituição.

Diversos museus no Brasil e no exterior estão enfrentando dificuldades semelhantes ao MASP, como perda de receita e de público, cancelamento e adaptações na programação de exposições e cortes de orçamento.

O MASP é um museu privado e tem como fonte de receita suas operações (como ingressos, restaurante, lojas e locação de espaços para eventos e espetáculos), que estão todas paralisadas desde o seu fechamento, há quatro meses. O museu também conta com patrocínios privados que, em um momento em que a economia e as empresas enfrentam dificuldades, sofrem redução.

Tentamos manter preservados todos os postos de trabalho o máximo possível, porém, diante do extenso período em que o museu se encontra fechado e das perspectivas pouco favoráveis de retomada, tanto em termos de público como de receita, um corte das despesas com a folha de pessoal tornou-se inevitável. Por isso, o quadro de funcionários foi reduzido em 13%.

Com isso, pretendemos ultrapassar esse período desafiador mantendo o equilíbrio orçamentário do MASP com uma programação de exposições e atividades culturais rica e saudável, seguindo nossa missão de manter o museu diverso, inclusivo e plural e voltar a receber o nosso público para experiências transformadoras e acolhedoras.”

Continua após a publicidade
Publicidade