Clique e assine por apenas 6,90/mês

Leporace incrementa cardápio e recupera a clientela

Após quase fechar, bar do Campo Belo está sob nova direção, com pratos diferenciados

Por Fabio Wright - Atualizado em 1 jun 2017, 18h37 - Publicado em 30 dez 2010, 13h11

Endereço que já foi um dos mais concorridos do Campo Belo, o Leporace viveu uma época de vacas magras nos últimos três anos. Sua cozinha perdeu eficiência, ao mesmo tempo em que o público minguou. Por pouco, não fechou as portas. A má fase, porém, terminou cerca de seis meses atrás, quando Temis Barros, um dos fundadores e criador também do Dedo de Moça, próximo dali, reassumiu a direção da casa. Ele deu uma ajeitada no ambiente e incrementou o cardápio com mais de trinta itens. Depois disso, a clientela voltou a ocupar as mesas, quase todas numa gostosa esquina avarandada. 

As carnes e os embutidos assados na churrasqueira continuam em destaque no menu — prove a linguiça calabresa recheada de provolone acompanhada de molho de maracujá (R$ 27,00, 450 gramas) —, mas agora rivalizam em atenção com novos petiscos. Alguns exemplos são a salteña de carne (R$ 9,50; duas unidades), o benfeito e farto baiãozinho de dois (R$ 21,00) e os pastéis de tamanho médio. Dois recheios curiosos chamam atenção: mortadela cortada em tirinhas com queijo branco e, o melhor deles, carne moída com quiabo (R$ 18,00 cada porção).

Leporace - linguiça - 2198
Leporace – linguiça – 2198

Ainda faz boa dupla de ataque com as bebidas a ótima linguiça calabresa defumada (R$ 16,00 a porção), temperada com pimenta-biquinho e limão-siciliano. Para beber, a maioria vai de cerveja, sempre trincando de gelada. A seleção inclui Original (R$ 7,20), Bohemia de trigo (R$ 13,20) e cinco rótulos em garrafa de quase 1 litro (R$ 16,40 cada um) — Patricia, Norteña, Pilsen, Quilmes e Stella Artois. Reabre na segunda (3).

BEBIDAS ✪✪✪ | AMBIENTE ✪✪✪ | COZINHA ✪✪✪

Publicidade