Clique e assine por apenas 6,90/mês

Jovem morre ao tentar fazer selfie em cachoeira de SP

Caso ocorreu no domingo (12); família acusa parque estadual de negligência, instituição nega

Por Redação VEJA São Paulo - 17 Jan 2020, 15h20

Uma jovem morreu no Parque Estadual do Rio Turvo, no município de Cajati, interior paulista, no domingo (12). Maria Fernandes Fagundes Sobrinho, de 19 anos, segundo relatos de testemunhas dados ao UOL, subiu em uma pedra nas margens da cachoeira Capelinha, no complexo, para fazer uma selfie com uma amiga.

Segundo informações da Fundação Florestal, órgão estadual responsável pelo parque, o lago tem entre 4 e 6 metros de profundidade. A dupla teria se separado do grupo do qual fazia parte, com cerca de quinze pessoas. Fernandes escorregou e caiu na água, e foi levada pela correnteza. A amiga conseguiu nadar até a margem.

Willian Fagundes, irmão da jovem, publicou um relato nas redes sociais em que afirma que Maria morreu afogada, e acusou o parque de “negligência”. “Não havia qualquer estrutura para atender aos banhistas. Não havia sinalização alguma. Levou mais de quarenta minutos para que alguém do parque descesse para ver a situação, mais de uma 1h30 para chegar uma corda para que nós pudéssemos tentar salvá-la. Vamos lutar por justiça e que nenhuma outra família chore como a nossa”, finaliza.

Em nota, a Fundação Floresta afirmou que “lamenta a morte da jovem”. O coletivo chegou no parque por volta das 10h, segundo o órgão, e os monitores do local “passaram todas as orientações conforme protocolo das unidades”, diz o texto.

Continua após a publicidade

A Fundação Florestal informou que mediatamente após o incidente os funcionários do parque prestaram toda assistência ao grupo e acionaram o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar, e que não há registros anteriores de acidentes fatais na área. “O local possui sinalizações e monitores que alertam sobre os cuidados a serem tomados durante o passeio, tais como riscos de afogamento, trombas d’água e não consumir bebida alcoólica nas dependências”.

Publicidade