Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Jogo entre Brasil e Argentina terá público após Doria dizer que “não haverá torcida”

Estádio não contará com ocupação total

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 24 ago 2021, 14h36 - Publicado em 24 ago 2021, 14h34

Brasil e Argentina se enfrentam nas eliminatórias da Copa do Mundo no dia 5 de setembro na Neo Química Arena, Zona Leste da capital paulista. Após o governador João Doria (PSDB) afirmar que a partida não contaria com público, a Secretaria  Estadual de Esportes divulgou nesta terça-feira (24) que o jogo terá a presença de 12 000 pessoas.

“Vamos manter o calendário como está, não haverá liberação de público para estádios de futebol fora do prazo que já foi orientado e nem para o jogo em setembro. Não haverá torcida no estádio onde a seleção irá se apresentar”, disse João Doria no dia 11 de agosto. Poucos dias depois, o tucano afirmou que a presença de público deveria voltar gradualmente somente a partir de 1º de novembro.

Segundo a nota divulgada pela secretaria, os torcedores deverão apresentar um teste negativo para Covid-19 realizado 48 horas antes e, depois da partida, todos serão testados novamente e acompanhados durante 15 dias. A partida será um evento-teste para a liberação de público nos estádios.

“O cenário atual da pandemia, com diminuição da ocupação de leitos de UTI para menos de 40% em todo o Estado e o avanço da vacinação, permite que sejam realizados eventos-teste, com controle e acompanhamento de especialistas”, diz a nota da secretaria.

Leia o texto completo:

Continua após a publicidade

A Secretaria de Esportes do Estado informa que a partida entre Brasil e Argentina, no próximo dia 5, será um evento-teste, com a participação de 12 mil torcedores. Será autorizada apenas a presença de torcedores que apresentarem teste negativo realizado em até 48 horas antes do evento. Após a partida, todo o público presente será testado e acompanhado por 15 dias. O cenário atual da pandemia, com diminuição da ocupação de leitos de UTI para menos de 40% em todo o Estado e o avanço da vacinação, permite que sejam realizados eventos-teste, com controle e acompanhamento de especialistas

  •  

     

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade