Ipiranga: onde a tradição encontra a modernidade

Monumentos históricos e empreendimentos inovadores convivem no bairro da Zona Sul que conserva o ar de cidade pacata

Em poucos bairros de São Paulo o casamento entre a tradição e a modernidade é tão bem-sucedido como no Ipiranga, na Zona Sul. Monumentos históricos, comércio pujante e prédios modernos convivem em harmonia em um lugar com jeitinho de cidade de interior, mas infraestrutura de metrópole.

Esse cenário começou a ser delineado há quase dois séculos, quando D. Pedro I deu o famoso grito de liberdade, em 7 de setembro de 1822, à margem de um curso d’água chamado por indígenas de Ipiranga (rio vermelho, em tupi).

A importância simbólica da região, incorporada à letra do Hino Nacional Brasileiro, despertou a ideia de erguer sobre suas pastagens um monumento em homenagem ao ato heroico. O Museu Paulista foi inaugurado em 7 de setembro de 1895, com um acervo composto por peças de história natural e de arqueologia, além de telas como Independência ou Morte, de Pedro Américo.

O museu catapultou o bairro, que duas décadas antes foi atravessado pelos trilhos da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí. Nos terrenos à margem da ferrovia, indústrias abriram as portas, como a Companhia Fabril de Tecelagem e Estamparia, da família Jafet, de origem libanesa. Vieram os núcleos de operários e as melhorias de infraestrutura viária: ruas e avenidas pavimentadas, bondes e iluminação.

Roteiros de bicicleta nas ruas do bairro

Dicas de passeios no Ipiranga sem gastar muito

Na década de 1970, as indústrias começaram a migrar para o interior do estado; os galpões foram substituídos por edifícios verticais, e o comércio do bairro sofisticou-se. Hoje, o Ipiranga é abastecido por serviços que incluem restaurantes, bares e opções de lazer que atraem moradores de outros distritos de São Paulo, além de hospitais, escolas e universidades. Sua rede de transportes é farta: três estações de Metrô (Santos-Imigrantes, Alto do Ipiranga e Sacomã, inauguradas nos últimos dez anos) e duas da CPTM (Ipiranga e Tamanduateí). A região tem fácil acesso ao centro da capital (cerca de 6 km da Praça da Sé) e ao litoral, pela Rodovia dos Imigrantes.

A última novidade é a chegada dos supercondomínios, como são chamados os prédios residenciais com estrutura de clube. Em um terreno grandioso, o Gafisa Square Ipiranga, que ocupará um quarteirão inteiro na Avenida Nazaré, conta com diversas opções de lazer para seus moradores. Piscina adulta e infantil, raia semiolímpica climatizada, área para massagem, quadra poliesportiva, pista de caminhada, playground e cinema estão entre as comodidades oferecidas.

Gafisa Square Ipiranga

Gafisa Square Ipiranga

O empreendimento terá duas torres de 28 andares e apartamentos de 84, 106 e 140 metros quadrados, de três e quatro dormitórios. O Gafisa Square Ipiranga fica a menos de 1 quilômetro do Metrô e a somente quatro minutos de carro do maior orgulho do bairro: o Parque da Independência.

Veja mais sobre o empreendimento aqui.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s