Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Mulher descobre que viveu por dois meses ao lado de vizinho morto

'Dormi a um metro de um cadáver por oito semanas e não tinha ideia', diz a jovem em relato que viralizou

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 18 out 2021, 12h14 - Publicado em 18 out 2021, 11h56

A influenciadora norte-americana Reagan Baylee viralizou no Tiktok após contar que descobriu que seu vizinho estava morto dentro de um apartamento ao lado do dela durante a pandemia, em maio de 2020.

Em uma série de vídeos, ela conta que começou a sentir cheiros desagradáveis, semelhante ao de peixe morto, vindo do bloco de apartamentos onde mora, em Los Angeles.

Durante oito semanas, ela começou a ficar enjoada e não conseguia dormir. Insetos e aranhas começaram a aparecer. “Comecei a pensar que talvez o cachorro do meu vizinho que morava à minha direita tivesse morrido e eu fiquei muito preocupada, mas minha administradora me disse que eu não poderia simplesmente começar a bater na porta dos vizinhos e incomodá-los”, diz.

A proprietária do imóvel enviou um funcionário até o local, que constatou que o vizinho da garota estava morto. “Ele quase não conseguiu subir as escadas. Ele arrancou a máscara e disse: ‘vou pegar a chave mestra, alguém está morto. Imediatamente comecei a surtar porque pela primeira vez em semanas eu não me senti louca”, disse.

Pouco tempo depois, oitos policiais chegaram ao local. “Para encurtar a história, eles disseram que este foi o pior corpo decomposto que já tinham encontrado. Não vou entrar muito nos detalhes, para a privacidade da pessoa, mas vamos apenas dizer que eles foram liquefeitos e eram basicamente um esqueleto neste ponto. Todos os sintomas que meu namorado e eu estávamos sentindo eram por causa dos vapores e gases tóxicos que estavam sendo liberados do corpo”, finaliza. Reagan não revelou a idade do vizinho ou a causa da morte.

Continua após a publicidade

Publicidade