Clique e assine por apenas 6,90/mês

Amiga denuncia agressão a influenciadora digital em restaurante paulistano

Ela teria sido importunada por um cliente e, depois de recusas, levado um soco na cabeça

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 26 set 2019, 13h49 - Publicado em 25 set 2019, 12h06

A influenciadora digital Helô Gomes teria sido agredida em um restaurante na Zona Oeste de São Paulo. De acordo com uma colega, o caso aconteceu no último dia 14, mas só foi tornado público na noite desta terça-feira (24). Em um relato publicado por uma amiga da blogueira, Juliana Ali, o momento da agressão é reconstituído.

Helô teria ido ao restaurante japonês Ummi, no Itaim, se encontrar com amigos. Um homem, que estava sentado em outra mesa, acenou e, na dúvida, a mulher teria ido até ele. Ao se aproximar, este desconhecido disse a Helô, em tom de deboche, algo como: ‘Garçonete, quero um drinque assim e assado, bem caprichado, hein??’. Estava, sem sombra de dúvidas, visivelmente muito alterado por álcool e/ou drogas. Minha amiga apenas respondeu: ‘Não trabalho aqui’. E seguiu para a mesa onde seus amigos já a esperavam“, diz o texto.

Depois da recusa, o rapaz teria se levantado e ido até a mesa da jovem. Começou a passar a mão nas costas dela, encostar a boca em seu ouvido e dizer frases: ‘Você achou ruim que te confundi com a garçonete? Por quê? Você acha que toda garçonete é puta? Você é puta? Você é PUTA? VOCÊ É PUTA?’. Todo o tempo tocando nela e encostando seu rosto no dela. Helô apenas disse: ‘Não encoste em mim. Não encoste em mim.’ Helô chegou a mudar de mesa, mas não adiantou: ele voltou“, continua.

De acordo com o texto, o homem teria, então, se tornado ainda mais agressivo. “Em dado momento desse desconforto, Heloísa chegou a pedir ajuda aos outros ocupantes de sua mesa, que disseram coisas como ‘sai pra lá, amigo, deixa ela’, mas nada mudou. Ele continuou ‘VOCÊ É PUTA?’. Tocando. Passando a mão. Até que finalmente Heloísa disse: ‘Se você continuar, vou jogar minha bebida na sua cara’. Ele continuou. Ela jogou. E então ELE DEU UM SOCO NA CABEÇA DA HELOÍSA. ELA CAIU PARA O LADO. De repente, um soco. A primeira coisa que Helô fez, em meio à dor, ao susto e ao constrangimento, foi perguntar ao rapaz que estava sentado ao seu lado: ‘Como é o nome desse homem???’. A resposta? ‘Não vou entregar meu amigo.'”

O texto diz ainda que o rapaz teria ido embora do restaurante após agredir a mulher e que o dono do estabelecimento, Murched Omar Taha Filho, presente no local, se negou a entregar as imagens das câmeras de segurança. O caso acabou registrado no 2º DP de Defesa da Mulher, na Vila Clementino, e o vídeo foi conseguido posteriormente por meio de intimação judicial.

Depois da agressão, segundo o relato, Helô precisou “fazer uma tomografia e ficar internada. Segue em observação sob cuidados médicos, ainda tem risco de hemorragia interna e recebeu o diagnóstico de estresse pós traumático. Tem tido crises de ansiedade e está medicada o tempo todo.”

Até o fechamento dessa nota, a reportagem da Vejinha não conseguiu contato com Murched Omar Taha Filho ou com o empresário que é acusado da agressão pela blogueira.

O restaurante Ummi Finest Sushi, em nota “lamenta o ocorrido entre os clientes, repudia todo e qualquer tipo de violência e ressalta que está colaborando com as investigações do caso”.

Continua após a publicidade
Publicidade