Clique e assine por apenas 6,90/mês

Forte dos Andradas, no Guarujá, tem visitas guiadas ao público

Confira algumas curiosidades sobre o local

Por Sara Ferrari - Atualizado em 9 fev 2018, 19h36 - Publicado em 9 fev 2018, 06h00

Quem passa pela Praia do Monduba, no Guarujá, nota a grande estrutura de pedra e alvenaria que parece ter sido erguida para estrelar um filme de guerra. Não é por acaso. A construção do Forte dos Andradas ocorreu, de fato, em um período de conflitos militares.

Inaugurado em 1942, esse complexo abriga mirante, instalações subterrâneas e o Hotel de Trânsito da Marinha, mas foi aberto ao público apenas desde 2016, quando estava prestes a completar 75 anos. Antes, só recebia excursões escolares.

Em parceria com a Secretaria de Turismo, a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea do Exército ofereceu treinamento de guia turístico a alguns soldados, que contam histórias sobre o lugar durante as visitas gratuitas. Conheça alguns dos fatos mais curiosos, listados pela historiadora Patrícia Wanzeller.

  • Último forte construído pelo Exército brasileiro, foi inaugurado durante a II Guerra Mundial, quando o Brasil se uniu aos Estados Unidos.
  • Até hoje abriga a estrutura usada pelos soldados durante a II Guerra, que contavam com um alojamento com camas, cozinha e enfermaria.
  • O subterrâneo é formado por dois túneis de 300 metros, por onde passam trilhos capazes de transportar até 350 quilos de munição.
  • Na década de 60, durante a ditadura militar, o lugar foi usado para abrigar presos políticos, como Eduardo Collen Leite, o Bacuri, torturado e morto pelo regime.
  • O Hotel de Trânsito era um dos lugares preferidos do ex-presidente Lula, que passou cinco temporadas de verão lá, a última em 2011.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade