Conheça os estilos arquitetônicos da cidade de São Paulo

As diferentes paisagens da cidade remetem a tempos antigos

Ao longo dos séculos, diferentes estilos arquitetônicos dominaram a paisagem da cidade de São Paulo. Para ajudar na identificação desses “espécimes” nas nossas ruas, a Associação Preserva São Paulo lançou neste ano a segunda edição do livro Nossa Cidade, Nossa Casa: Conhecendo a Arquitetura da Cidade e Aprendendo a Cuidar Dela (Editora Palavras da Terra; 96 páginas). A obra reúne fotos, curiosidades e outras informações sobre as variedades encontradas em edificações na capital. Confira alguns dos estilos.

Colonial

Atualmente é raro encontrá-la pela cidade, mas expoentes dessa manifestação foram os mais frequentes no visual urbano de São Paulo até parte do século XIX. Entre as características marcantes estão as paredes de taipa de pilão (técnica construtiva herdada dos mouros, povo oriundo do norte da África) e os beirais (projeções dos telhados) bem largos.

Industrial: estilo presente ainda na Vila Prudente

Industrial: estilo presente ainda na Vila Prudente (Divulgação/Divulgação)

Industrial

Devido ao processo de industrialização acelerado que marcou a cidade no início do século XX, ainda é possível apreciar expoentes desse estilo arquitetônico em bairros como a Vila Prudente. Ele se caracteriza pela utilização de ferro na estrutura da construção e pelos tijolos aparentes na fachada.

Construção no estilo racionalismo: art déco e o moderno, típico dos anos 40

Construção no estilo racionalismo: art déco e o moderno, típico dos anos 40 (Divulgação/Divulgação)

Racionalista

Transição entre o art déco e o moderno, típico dos anos 40, distingue- se pelas formas geométricas e pelos volumes em balanço, como, por exemplo, os balcões e varandas. Esse estilo é usual em prédios pequenos, com um ou dois andares, no centro expandido.

Estilo eclético: construção tem detalhes do neogótico

Estilo eclético: construção tem detalhes do neogótico (Divulgação/Divulgação)

Eclético

Abrange a arquitetura inspirada nos estilos históricos, principalmente europeus, na virada do século XIX para o XX — entre eles, neogótico, normando e tudor. Em comum, nota-se o emprego de técnicas como mosaico, vitral e pintura em afresco. A variedade eclética corresponde ao período da República Velha (1889-1930), que marcou o desenvolvimento da cidade.

Estilo neoclássico: típico de bairros como Brás, nos Campos Elíseos e na Vila Buarque

Estilo neoclássico: típico de bairros como Brás, nos Campos Elíseos e na Vila Buarque (Divulgação/Divulgação)

Neoclássico

Surgiu no século XIX, atrelado aos primeiros bairros planejados. Caracteriza-se por platibandas (faixas horizontais que emolduram a parte superior de uma construção) e frontões (ornamentos triangulares que decoram o topo de portas e janelas). É possível encontrá-lo no Brás, nos Campos Elíseos e na Vila Buarque.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s