Continua após publicidade

Doria autoriza lei que cria dia para orar pelos políticos

Proposta diz que a população precisa trocar as críticas às autoridades por preces

Por Ricardo Chapola
Atualizado em 31 jul 2019, 20h16 - Publicado em 31 jul 2019, 19h49

O governador João Doria autorizou a criação de uma lei que institui o Dia de Oração pelas Autoridades da Nação, toda terceira segunda-feira do mês, no calendário de datas comemorativas de São Paulo. A informação foi publicada na edição desta quarta-feira (31) do Diário Oficial.

O projeto foi proposto pelos então deputados Chico Sardelli e Reinaldo Alguz, ambos do PV, em 2018. Hoje, só Alguz continua sendo parlamentar na legislatura que começou em 2019.

Na proposta, os políticos mostram que se espelharam no que está escrito na Bíblia. “A Bíblia fala que toda autoridade é levantada por Deus, mesmo aquelas que nos fazem perecer”, diz o texto. “Fala também para orarmos pelas nossas autoridades, para que elas exerçam um governo justo e estratégico, para que promova o bem de todos e a nação prospere.”

Na justificativa, Sardelli e Alguz pedem apoio dos demais parlamentares da Casa e também que a população pare de criticar os políticos. “Pedimos que o povo passe a orar e não criticar as autoridades constituídas no estado de São Paulo e por toda a nação Brasileira”, escrevem. “Temos observado que a prática da oração e a intercessão pelas pessoas trazem resultados extraordinários, surpreendentes e até milagrosos, para os que creem.”

Continua após a publicidade

Bíblia e igrejas

Também nesta quarta, Doria promulgou uma lei que cria o Dia da Escola Bíblica no Estado, que será comemorado todo ano no terceiro domingo do mês de setembro. Na proposta de autoria do deputado Gil Lancaster (PSB), o objetivo é homenagear a Escola Bíblica, projeto “pedagógico, cultural e religioso” aplicado em igrejas protestantes de todo mundo.

Idealizada por John Wesley na Inglaterra, em 1737, a Escola Bíblica consiste em reuniões para educar e doutrinar biblicamente os fiéis da igreja. Para os evangélicos, é considerada um dos principais meios de instrução na vida do público cristão.

Continua após a publicidade

Para o parlamentar, ela é fundamental em São Paulo. “Faz parte da maioria das igrejas protestantes, sendo essencial na conservação da família e estudo dos preceitos bíblicos”, escreveu Lancaster no projeto.

Além dessas leis, Doria também autorizou a criação de outras duas para homenagear denominações evangélicas específicas.

Um dos projetos promulgados pelo governador propõe a criação do Dia da Assembleia de Deus Ministério de Madureira. A lei prevê que a data seja comemorada em 15 de novembro. Já no outro, o tucano concordou em instituir o Dia da Igreja Sara Nossa Terra. A data será celebrada em 7 de setembro a partir deste ano.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.