Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Doria anuncia ensino a distância na rede estadual a partir de 27 de abril

Os kits precisarão ser retirados nas escolas e o governo fará um escalonamento para evitar aglomerações. Saiba mais

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 16 abr 2020, 17h37 - Publicado em 16 abr 2020, 17h26

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quinta-feira (16) que distribuirá kits escolares para 3,5 milhões de estudantes da rede pública de São Paulo a partir do dia 27 de abril. A data marcará o reinício do 1º bimestre do ano letivo, afirmou o secretário de educação Rossieli Soares em coletiva de imprensa. Os alunos contarão com aulas pela televisão e aplicativos para auxiliar no ensino. “O material contempla informações aos pais, aos seus filhos e contribui para o estudo à distância”, esclareceu o tucano. 

A quarentena decretada pelo estado está marcada para chegar ao fim no dia 22 de abril. Soares afirmou que, caso o isolamento chegue ao fim, o kit distribuído pelo governo ainda poderá ser aproveitado durante as aulas presenciais. O pacote contará com apostilas de português e matemática, livros didáticos, gibis da Turma da Mônica, um livro literário e outros materiais de apoio. O investimento será de R$ 19,5 milhões. Os kits precisarão ser retirados nas escolas e o governo fará um escalonamento para evitar aglomerações. A distribuição para cerca de 10% dos alunos da rede que estão localizados em áreas rurais e mais afastadas será feito com a ajuda do transporte escolar.

Além dos 3,5 milhões de alunos matriculados na rede estadual de São Paulo, estudantes de mais de 470 redes municipais também serão contemplados com o manual de orientação aos pais. “O objetivo é ajudar famílias e alunos durante este período, para que sigam aprendendo mesmo em casa e se mantenham motivados a estudar”, destaca Soares.

A Secretaria de Educação transmitirá aulas também do ensino infantil à 5ª série pela televisão, auxiliando a rede municipal, em parceria com a TV Cultura e com a Univesp, em canais secundários (2.2 e 2.4 da TV aberta). Os alunos contarão ainda com um aplicativo no celular para auxiliá-los, com internet liberada. Os professores terão um período para se adaptar às novas ferramentas e também reorganizar o calendário. Assista: 

As aulas da rede pública estão suspensas desde o dia 23 de março. A secretaria já antecipou as férias e recesso para diminuir o prejuízo ao ano letivo.

  • + OUÇA O PODCAST #SPsonha

    Continua após a publicidade
    Publicidade