Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Dom Salvador se apresenta em noite única no Bourbon Street

Cultuado pianista paulista radicado em Nova York participou do álbum de Roberto Carlos em 1970

Por Pedro Ivo Dubra Atualizado em 5 dez 2016, 18h44 - Publicado em 25 jun 2010, 22h43

Nascido em Rio Claro (SP) e radicado em Nova York desde 1973, o pianista Salvador da Silva Filho, o Dom Salvador, morou em São Paulo entre 1961 e 1964. Pouco tempo, mas o suficiente para ter boas recordações. Na época, ele aproveitava bem a boemia da cidade em jam sessions noites adentro. “Tocávamos até as 8 da manhã”, recorda. Em 1965, quando já vivia no Rio de Janeiro, ele voltou para se casar na Igreja Nossa Senhora do Brasil — e teve Elis Regina no papel de madrinha. Hoje, aos 71 anos, quando aparece aproveita para visitar os parentes. É o que pretende fazer depois de se exibir no Bourbon Street à frente de Rodrigo Ursaia (sax), Mauricio Zottarelli (bateria) e Itaiguara Brandão (baixo). Em formato de aula-show, sua rara apresentação integra a série Sala do Professor Buchanan’s, comandada por Daniel Daibem e transmitida pela rádio Eldorado FM.

Competente músico de estúdio, Dom Salvador tocou piano em Jesus Cristo, incluída no álbum de Roberto Carlos de 1970, e gravou com Elis, Edu Lobo, Mário Reis, Zé Keti e outros. Também liderou a banda Abolição, com a qual registrou o cultuado LP Som, Sangue e Raça, tornando-se um pioneiro do samba funkeado. Só foi se apresentar no Brasil de novo em 2003, trinta anos após acompanhar Nara Leão no Rio; retornou depois em mais duas ocasiões. “Continuei visitando o país, mas, como trabalhava muito em Nova York, não marcava shows aqui.” No repertório da vez, calcado em samba-jazz, há composições suas como East River Blues e Clauditi, além de Mariá, tema em homenagem a sua mulher, com quem se casou na igreja do Jardim América.

 

Publicidade