Clique e assine por apenas 5,90/mês

Amazon remove livro após repercussão negativa com tag #SeExplicaAmazon

A cobrança aconteceu após internautas encontrarem o livro "Anjos Proibidos" à venda no site por quase 10 000 reais

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 16 jun 2020, 13h05 - Publicado em 16 jun 2020, 13h02

Quem abriu o Twitter na madrugada desta terça-feira (16) ficou surpreso ao ver a tag #SeExplicaAmazon entre os assuntos mais comentados no Twitter. A cobrança aconteceu após internautas encontrarem o livro “Anjos Proibidos” à venda no site da Amazon por quase 10 000 reais. Lançada em 1991, a publicação do fotógrafo Fábio Cabral traz uma coletânea com 25 retratos de adolescentes seminuas e com idade entre 10 e 17 anos. Confira a repercussão:

Após a repercussão do caso, a Amazon usou seu perfil no Twitter para esclarecer a situação, informando os usuários que já removeu o livro de sua loja on-line e que investiga o caso: “A Amazon agradece pelo alerta. Suspendemos o produto assim que fomos informados, e estamos investigando“, diz o tuíte, compartilhado na manhã desta terça-feira (16). Confira: 

“Anjos Proibidos” é o primeiro e mais polêmico livro da carreira de Fábio Cabral. A publicação foi o estopim para que o autor da obra fosse indiciado por incentivo à pornografia infantil. Ele foi declarado inocente após dois anos e seu trabalho foi considerado como de cunho artístico, mas o escândalo e a repercussão nacional e internacional ainda é relembrado. O autor chegou a se defender e disse que não teve a intenção de escandalizar. “A sensualidade da mulher começa a se revelar na adolescência e demonstrei esse fato pelas imagens”, explicou ao jornal Folha de S. Paulo, em 1995. 

Continua após a publicidade
Publicidade