Clique e assine por apenas 6,90/mês
São Paulo nas Alturas Por Raul Juste Lores Redator-chefe de Veja São Paulo, é autor do livro "São Paulo nas Alturas", sobre a Pauliceia dos anos 50. Ex-correspondente em Pequim, Nova York, Washington e Buenos Aires, escreve sobre urbanismo e arquitetura

O italiano que projetou o belo edifício Azul e Branco, na Oscar Freire

Em seu primeiro ano em São Paulo, com apenas 26 anos, Guido Gregorini ganhou um concurso de ideias promovido pelo engenheiro e incorporador Arão Sahm

Por Raul Juste Lores - 17 abr 2018, 19h29

Este belo edifício que leva as cores de suas pastilhas no nome foi um dos primeiros da rua Oscar Freire. Foi projetado pelo italiano Guido Gregorini, que teve uma frutífera parceria com o engenheiro e incorporador Arão Sahm. Juntos, ergueram mais de quinze prédios, principalmente nos Jardins, Higienópolis e Bela Vista. Gregorini deixou a Itália em 1948, meses depois de se formar em Arquitetura em Veneza. Em seu primeiro ano em São Paulo, com apenas 26 anos, ganhou um concurso de ideias promovido por Sahm, que queria um bom arquiteto para projetar seus residenciais. Nove anos, e alguns empreendimentos depois, nasceu o projeto do Azul e Branco (1958). A dupla desenvolveria depois um grande loteamento em Atibaia.

Raul Juste Lores/Divulgação
Raul Juste Lores/Divulgação
Raul Juste Lores/Divulgação

 

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter e seguir minhas postagens no Instagram.

Publicidade