Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Apresentador John Oliver detona Bolsonaro na TV: “Ser humano terrível”

"Se o Bolsonaro não ganhou, se haverá um segundo turno em três semanas, então ainda não é tarde demais"

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 8 out 2018, 12h25 - Publicado em 8 out 2018, 12h18

Na noite deste domingo (7), foi confirmado que o segundo turno das eleições à presidência da República será disputado por Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Foi também neste domingo que o apresentador britânico John Oliver falou sobre a corrida presidencial em seu programa semanal na HBO, “Last Week Tonight with John Oliver”.

“O motivo pelo qual quero falar sobre o Brasil hoje à noite é a enorme eleição de hoje, a primeira de dois turnos para eleger, entre outras coisas, um novo presidente”, explicou o apresentador. “O Brasil é a casa de 200 milhões de pessoas, é o quinto maior país do mundo e está prestes a passar por uma grande mudança. Os brasileiros estão muito bravos”. John Oliver, então, fala sobre como o Brasil está enfrentando a maior recessão econômica de sua história e como a Operação Lava-Jato destruiu a confiança dos brasileiros na política nacional.

“Muitos brasileiros querem uma mudança radical e isso nos leva ao homem que está a frente das pesquisas, Jair Bolsonaro. A melhor coisa que você pode dizer sobre ele é que ele não foi indiciado por uma investigação de corrupção — ainda”, diz o apresentador. “Infelizmente, essa é a única coisa boa que eu posso dizer sobre ele, porque ele é um ser humano terrível“. “É preocupante que os jovens estejam tão empolgados porque ele é um conservador de extrema direita. Ele quer retirar o Brasil do acordo de Paris e diminuir regulações ambientais. Ele chamou os imigrantes que chegam ao Brasil de ‘escória do mundo’ e quer que seja mais fácil para os brasileiros comprarem armas”.

“O Bolsonaro já disse no passado: ‘Eu sou a favor da ditadura’. O que é muito preocupante, já que ele é um capitão reformado do exército em um país que até 1987 foi governado por uma ditadura militar brutal”, explicou. Ele, então, mostra uma entrevista em que Bolsonaro diz que a ditadura militar deveria ter matado 30 000 pessoas: “É chocante ver alguém dizendo que um regime militar não matou pessoas o suficiente”, diz o apresentador.

Oliver, então, faz um apelo: “Se o Bolsonaro não ganhou, se haverá um segundo turno em três semanas, então ainda não é tarde demais. Brasil, por favor, eu sei que vocês estão enojados pela política no momento, e vocês não são inspirados por nenhuma das alternativas, mas qualquer coisa é melhor que o Bolsonaro. O Lula Diet é melhor que o Bolsonaro”, diz o apresentador, falando sobre Fernando Haddad. “A questão é: o Bolsonaro não reflete o que há de melhor em vocês, Brasil. E, com alguma sorte, você ainda tem chance de votar #EleNão”. Assista, em inglês:

Na internet, a publicação chamou atenção dos internautas brasileiros. No Twitter, o nome de John Oliver aparece como um dos assuntos mais comentados na manhã desta segunda (8). Confira a repercussão: 

Essa não é a primeira vez que John Oliver fala sobre o Brasil em seu programa semanal: em fevereiro de 2017, ele já tinha falado sobre a crise política brasileira — clique aqui para assistir ao momento.

Dê sua opinião: E você, o que achou do vídeo de John Oliver? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Continua após a publicidade
Publicidade