Clique e assine com até 89% de desconto
Alessandra Rodrigues - Nutrição e Bem-Estar Por Blog

Agave: descubra o que é e se ele pode substituir o açúcar

O agave é um antigo conhecido da população mexicana — extraído da mesma espécia de cacto que utilizam para fazer a tequila, esse néctar é também muito utilizado na culinária. Ele é composto por carboidratos (mais precisamente a frutose) e o seu sabor é bastante semelhante ao mel, mas um pouco mais suave. Outro fator positivo […]

Por VEJA SP Atualizado em 26 fev 2017, 21h09 - Publicado em 21 ago 2014, 11h34

agave-nectar-frame

O agave é um antigo conhecido da população mexicana — extraído da mesma espécia de cacto que utilizam para fazer a tequila, esse néctar é também muito utilizado na culinária. Ele é composto por carboidratos (mais precisamente a frutose) e o seu sabor é bastante semelhante ao mel, mas um pouco mais suave. Outro fator positivo é que ele não possui o sabor residual causado pelos adoçantes artificiais, pois ele é natural.

Existem dois tipos de agave: um mais escuro e um mais claro. A segunda opção passa por menos calor em sua produção e por um processo de filtração maior para produzir um produto mais saboroso. Já o escuro é menos filtrado e, por isso, fica com pedaços e com o gosto mais forte, com um sabor semelhante ao do maple.

Cada colher de sopa do agave tem 40 calorias, ou seja, em torno de 16 calorias a menos que uma colher de mel e 24 a menos que o açúcar. Conclui-se a partir deste dado que os três são, de fato, muito similares.

Apesar de alguns estudos feitos em animais mostrarem que ele pode ser uma opção melhor quando comparado ao mel por ter um menor índice glicêmico. No entanto, ao compará-lo ao açúcar refinado ou mascavo não existe uma grande diferença quanto a este fator — o que não justifica seu uso para quem quer perder peso e muito menos para paciente diabéticos, já que ele é fonte de frutose e contraindicado para eles.

Por isso, se você quer economizar calorias na hora de adoçar, ou opte por não adoçar ou use edulcorantes (atualmente, o considerado mais seguro é a sucralose).

Continua após a publicidade
Publicidade