Grupo Sérgio – Lugar de gente feliz

Viaje ao passado, lembrando do nosso primeiro fast-food: o incomparável rodízio de pizzas do Grupo Sérgio

Imagine a cena: você junta uma turma de colegas da escola e resolvem ir a uma lanchonete juntos, pra comer alguma coisa, tomar um suco ou refrigerante e conversar sobre a dura vida de um estudante do ensino médio. Professores, provas, as meninas mais bonitas da sua sala de aula, aquele jogo pelo campeonato da escola… Agora imagine que você está nos anos 70. Onde dá pra ir com o pessoal? Os fast-foods ainda eram raros e as lanchonetes bacanas eram caras demais (como são até hoje!). Naqueles tempos, só existia uma resposta: Grupo Sérgio.

 (Blog Memória/)

Acredita-se que o Grupo Sérgio foi a primeira pizzaria rodízio de São Paulo, um conceito novo naquela época. Pagava-se aproximadamente o equivalente a meia pizza, e comiam-se pedaços de pizzas à vontade, de diversos sabores, e quantos pedaços seu pobre corpo pudesse aguentar. Isso fazia de lá o lugar perfeito, principalmente para adolescentes com pouco dinheiro e famílias numerosas em situação idêntica.

A boa ideia foi do empresário Sergio Ricardo Della Crocci, que deu o seu nome à primeira unidade da rede, inaugurada no Pari em 1976, mesmo antes de ser um “grupo”. As previsões deram certo, e dois anos depois, o “Grupo Sérgio” já podia ser chamado realmente de grupo, pois tinha cinco filiais na cidade.

 (/)

Algumas lojas podiam ser consideradas verdadeiros transatlânticos culinários — ao menos no tamanho. Uma unidade na Radial Leste, próxima à estação Belém do metrô, por exemplo, tinha lugar para pelo menos mil pessoas sentadas, e, acredite se quiser, formavam-se filas na porta aos sábados à noite. Atraia desde famílias inteiras até grupos de jovens que apostavam entre si quem comeria mais pedaços de pizza, cena comum em todas as casas da rede, sempre lotadas.  Tudo bem, as pizzas eram bem simples, com massa fina e coberturas igualmente precárias… mas, quem se importava?

Quem comia mais? Um controle era feito no guardanapo

Quem comia mais? Um controle era feito no guardanapo (/)

Ir ao Grupo Sérgio era sempre uma festa, todo mundo comia até sair pizza pelas orelhas. Era como estar de férias: um lugar cheio de gente, todos sorrindo e comendo sem parar! Ninguém ia ao Grupo Sérgio pela qualidade da comida, a atmosfera festiva é que era legal!

 (/)

Depois de mais de 10 anos de sucesso absoluto, o que era novidade foi perdendo o fôlego e o público começou a debandar. Em meados dos anos 1980, as redes de fast-food proliferaram pela cidade, gerando novas opções de “lazer gastronômico” , o que afastou ainda mais os clientes. A rede tentou se reinventar, mas não sobreviveu ao fim dos anos 90 e fechou as portas definitivamente, deixando na gente a lembrança de uma pizza de mussarela magrinha, mas com muita história pra contar!

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s