Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Due Cuochi Cucina sem Paulo Barroso de Barros

Foram seis anos de uma união aparentemente feliz encerrada com uma canetada nesta noite de sexta. Paulo Barroso de Barros não é mais sócio de Ida Maria Frank no Due Cuochi Cucina. Para entender a história, voltemos ao começo. Ida Maria tinha um bistrozinho até charmoso, mas que não chamava a atenção no Itaim e […]

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 27 fev 2017, 12h59 - Publicado em 1 out 2011, 05h44

Ida Maria Frank e Paulo Barroso de Barros: o fim de um relacionamento comercial de sucesso

Foram seis anos de uma união aparentemente feliz encerrada com uma canetada nesta noite de sexta. Paulo Barroso de Barros não é mais sócio de Ida Maria Frank no Due Cuochi Cucina.

Para entender a história, voltemos ao começo. Ida Maria tinha um bistrozinho até charmoso, mas que não chamava a atenção no Itaim e do qual pouca gente se lembra do nome. Era o Maria’s.

Um dia, o chef Paulo Barros de Barros encheu-se de coragem, bateu na porta da restauratrice e propôs mudar tudo. Ela topou. Surgia assim o Due Cuochi Cucina, que apesar do ambiente de trattoria, sempre teve uma cozinha de primeira.

Como resultado desse casamento, veio o reconhecimento da crítica e do público, além de uma coleção de prêmios. O sucesso foi tanto que, junto de outros sócios, conseguiram inclusive montar outra unidade no Shopping Cidade Jardim com o mesmo nome e cardápio quase idêntico.

“Agradeço a ela a oportunidade de ter me aberto as portas”, diz Barros, ratificando uma separação supostamente cordial.

“Celebramos um divórcio civilizado e estou muito feliz porque o filho ficou comigo”, comemora Ida Maria.

Continua após a publicidade

Embora os sócios jurem que o relacionamento acabou numa boa, basta dois minutos de conversa com eles para perceber que o molho tinha azedado há tempos.

Ida garante que a clientela não sentirá a saída do sócio. “Não teremos mudanças porque os subchefs continuam tocando a cozinha, já que o Paulo não estava trabalhando aqui há quase um ano. Em outubro do ano passado, ele disse que ia se afastar por causa do nascimento da filha. Depois disso, ele não aparecia e só se comunicava com os cozinheiros por telefone”, afirma Ida Maria.

Barros acredita que com sua saída reduzirá o stress que vivia. “Estávamos sempre discutindo. Tínhamos projetos diferentes e vínhamos num desgaste depois de sete anos juntos. Além disso, é uma questão de idade. Somos de épocas e pensamentos diferentes”. Barros continuará muito ocupado. Ele se dedicará integralmente ao novo Italy, nos Jardins, e ao Girarrosto, que deve se aberto até o fim deste ano junto do Pandoro. Também seguirá supervisionando o Kaá. Haja fôlego!

Ida Maria também aponta o desgaste. “Sempre lutei pelo fortalecimento da marca Due Cuochi Cucina. Estávamos nos desentendendo. Ou era eu ou era ele”.

Para concretizar o negócio, Ida Maria conseguiu atrair como sócios os donos do grupo Barbacoa, America e da rede de postos Graal. Também convidou o Banco Fator para fazer a intermediação.

Os ex-sócios evitam o assunto dinheiro. Mas apurei com uma fonte ligada a eles que Barros saiu com um cheque de mais de 3 milhões de reais no bolso. Também desfalcou a cozinha do shopping, levando consigo o chef Ivo Lopes. Barros justifica, dizendo que o relacionamento entre Ida e Lopes era duro “São personalidades muito diferentes”, arremata.

Ida Maria não perdeu tempo e conta que terá quatro chefs. Promoveu Cido Silva, no Itaim, e David Maurício e Acelino Oliveira, no shopping. O quarto cozinheiro virá de Nova York. “Estou trazendo Giampiero Giuliani, que já trabalhou conosco e atualmente chefia o Cipriani”, adianta.

Continua após a publicidade
Publicidade