Wesley Duke Lee

Resenha por Jonas Lopes

Morto no dia
12 de setembro, aos 78 anos, o paulistano Wesley
Duke Lee é tema de uma ampla mostra na galeria
Pinakotheke Cultural. Foram reunidos 65 trabalhos
raramente exibidos juntos, entre pinturas,
desenhos, instalações e objetos oriundos de coleções
públicas e particulares. Há ainda documentários,
imagens, cartas e itens pessoais cedidos
pela família e por amigos. Uma das joias da
seleção é o raro making of fotográfico do notável
happening realizado pelo artista em 1963 no lendário
João Sebastião Bar, na Rua Major Sertório.
A carreira de Duke Lee sempre se pautou pela
irreverência. No início dos anos 60, ele assinou
a hoje cultuada Série das Ligas, repleta de desenhos
eróticos rejeitados pelas galerias da época.
Em 1966, fundou o Grupo Rex, ao lado de Geraldo
de Barros, Nelson Leirner, José Rezende,
Carlos Fajardo e Frederico Nasser — tema de
uma das salas da atual Bienal. Chegou ainda a
criar peças então chamadas de “ambientes”, que
viriam a ser conhecidas como instalações.
De 25/10/2010 a 04/12/2010.

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.