Ter Lugar para Ser

VejaSP
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Julia Flamingo

A relação entre arte e arquitetura é o mote desta mostra coletiva concebida por Mario Gioia. A questão é abordada nas obras de doze artistas e remete à própria estrutura do prédio que abriga a montagem. O projeto arquitetônico do Centro Cultural São Paulo, inaugurado em 1982, traz amplos espaços de convivência e estruturas aparentes. O concreto, material à vista em todo o edifício, faz parte da instalação de Rodrigo Sassi, feita de materiais de construção e um carrinho utilizado nos canteiros de obra. Na série Pinturas Inflitrórias, o artista paulistano simula uma infiltração — problema recorrente em construções da cidade. Ao injetar tinta colorida, a mancha no concreto deixa de ser desagradável aos olhos e passa a ser evidenciada. No vídeo Forma Livre, Clara Ianni resgata entrevistas com Lucio Costa e Oscar Niemeyer sobre o massacre ocorrido durante a construção da capital, em 1959, que resultou na morte de 100 operários após confrontos com forças de segurança. Até 22/11/2015.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s