Mondrian e o Movimento De Stijl

VejaSP
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Julia Flamingo

As inconfundíveis telas de linhas verticais e horizontais que formam quadrados e retângulos pintados nas cores primárias amarelo, azul e vermelho chegam à cidade para uma grande exposição do seu autor, Piet Mondrian (1872-1944). Com inauguração prometida para segunda (25), a mostra reúne trinta obras do holandês. Algumas delas são paisagens e naturezas-mortas quase desconhecidas, nas quais se vê sua inspiração no pontilhismo e no impressionismo. Das primeiras experiências até a arte que o tornou conhecido no mundo todo, passaram-se quase trinta anos. Também estão expostas outras quarenta peças de artistas que participavam do movimento encabeçado por Mondrian, intitulado De Stijl. Surgido em 1917, na Holanda, o grupo frequentado também por Theo van Doesburg e pelo húngaro Vilmos Huszár desenvolveu uma estética que refletia o desejo de paz — eles viviam o auge da I Guerra Mundial e da Revolução Russa. A pintura disciplinada ressaltava o equilíbrio e a harmonia, deixava de lado as formas maleáveis da natureza e chegava perto da racionalidade da arquitetura. Motivos suficientes para formar filas na porta do CCBB.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s