Impressionismo: Paris e a Modernidade

VejaSP
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Jonas Lopes

Instituição que abriga aquela que talvez seja a mais completa coleção de impressionismo do mundo, o Museu d’Orsay, de Paris, cedeu as 85 obras da mostra do Centro Cultural Banco do Brasil. Elas perpassam as diversas fases do movimento, caracterizado por formas livres, paleta de cores claras e com predominância da luz. Um andar a mais foi disponibilizado para a montagem no CCBB, e ainda assim há algum aperto — é importante também preparar-se para as longas filas. A seleção possui irregularidades, sobretudo pela presença massiva de Pierre-Auguste Renoir, cuja produção não sobreviveu tão bem ao passar do tempo. Melhor concentrar-se no talento de Edgar Degas e Édouard Manet. E, principalmente,
dedicar um tempo considerável aos excelentes pós-impressionistas reunidos no cofre: Vincent van Gogh, Paul Cézanne, Paul Gauguin, Pierre Bonnard e Édouard Vuillard representam a chegada definitiva da arte moderna. De 04/08/2012 a 07/10/2012.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s