Comida

Yakisoba: saiba onde provar os melhores macarrões orientais da cidade

Depois da onda dos temakis, outra pedida asiática vem conquistando o paladar dos paulistanos

Por: Helena Galante - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Depois da onda dos temakis, outra pedida asiática vem conquistando o paladar dos paulistanos. O yakisoba, aquele macarrão de origem chinesa muito popular no Japão, ganhou pelo menos quatro casas dedicadas à especialidade, de um ano para cá. Em comum, os novos endereços dispõem de atendimento ágil e preços razoáveis, como nas redes de fast-food. Comandada pelo japonês Akira Matsuda, a Mussashi Yakissobateria abriu a primeira filial em setembro, no centro. “Na matriz, na Liberdade, chegamos a vender 700 porções por dia”, diz Matsuda. “O potencial de mercado é grande, e pretendemos inaugurar mais uma loja.” Sediado em Pinheiros, o Yakissoba Yah começou a funcionar em outubro e prevê a abertura de novas filiais pelo sistema de franquia. “Até o fim do ano, queremos ter mais cinco unidades”, afirma o sócio Guilherme Minami. Completam o time dos novatos o Yakissoba Mania, instalado no Mandaqui, e o Yakisoba Factory, na Vila Olímpia. Além deles, muitos restaurantes tradicionais mantêm a opção no cardápio.

Para facilitar a escolha do leitor, VEJA SÃO PAULO visitou os quatro estreantes, mais seis antigos estabelecimentos, e avaliou o prato nos quesitos textura da massa, variedade dos ingredientes e características do molho. Yakisobas molengas, engordurados ou com carnes duras ficaram no fim da lista. Receberam mais pontos os macarrões fritos de textura crocante, complementados por verduras levemente refogadas. Ainda que não tenham sido levados em conta na avaliação, os problemas de atendimento também foram descritos. Em primeiro lugar, ficou a receita do quase trintão Ton Hoi, na Avenida Professor Francisco Morato, no Caxingui. Ali, o chef Tommy Wong trabalha com sua equipe em uma cozinha envidraçada. Dá para ver o habilidoso Edson Silva Pacca preparando a massa, que depois será cozida em água e frita no óleo de milho, acrescida de camarão, frango, patinho bovino, pernil suíno, brócolis, acelga e repolho. “Higiene deve ser uma prioridade”, diz Wong. “Por isso, minha cozinha é transparente.”

Veja onde estão os melhores yakisobas da cidade:

1º - Ton Hoi - 23,10 reais (para duas pessoas)

Aqui, a especialidade preparada por Tommy Wong (na foto abaixo) recebe o nome de macarrão frito com chop suey. Supercrocante, vem sobreposta por suculentas tiras de carne de boi, pernil e frango mais camarão. Os pedaços largos de brócolis, acelga e repolho são refogados diretamente na panela wok, junto com o saboroso molho condimentado com sal, açúcar e Ajinomoto.|

2º - Yakisoba Factory - 18 reais

Depois de cozidos, os fi os são fritos e levados ao forno até fi car crocantes. A sugestão tradicional combina maminha, alcatra, frango e um leve molho de shoyu, saquê, gengibre e caldo de galinha. Soma pontos pela variedade de hortaliças: acelga, repolho, cenoura, vagem, brócolis, pimentão vermelho e cebola.

3º - Rong He - 22 reais (para duas pessoas)

À vista dos clientes, os cozinheiros escaldam a massa e, em seguida, a põem no tacho para fritar. A opção mista leva carne bovina, frango, camarão médio, cenoura, pimentão vermelho, brócolis, acelga e cogumelo-de-paris. Chega à mesa crocante, acompanhada de uma tesoura para auxiliar no corte dos fios.

4º - Mussashi Yakissobateria - 6,99 reais (segunda a sexta) e 9,99 reais (sá bado e domingo) a porção de 620 gramas

O prato da casa é preparado em panelonas localizadas numa cozinha envidraçada logo na entrada. Na versão mista, a massa fina e crocante vem servida com carne, frango e vegetais. Feito com caldo de frango e de porco, o molho estava um pouco oleoso.

5º - Chi Fu - 18 reais (para duas pessoas)

Não é fácil fazer o pedido. A maioria das garçonetes não entende português e é necessário fazer mímica. Ultrapassada essa fase, chega à mesa o macarrão frito com broto de feijão, cebola e tiras de carne, que agrada pelo equilíbrio de sabores dos ingredientes. O molho adere bem aos fios, mas sobra gordura.

6º - Yakissoba Mania - 10 ,90 reais

Especializado em delivery, conta também com algumas mesinhas no local. A receita mista mostrou boa variedade de vegetais (acelga, couve-fl or, brócolis e cenoura), regada a um molho claro e leve de shoyu e óleo de gergelim. Fez falta uma massa mais crocante.

7º - Yakissoba da Vila - 11 ,90 reais (porção média)

Os clientes ocupam uma única mesa coletiva, observando de perto a cozinha com ares de improvisada. Despertam interesse dois ingredientes pouco comuns do yakisoba misto: a alga nori e o gengibre. O molho excessivamente líquido comprometeu o resultado final.

8º - Yakissoba Restaurante - 26 reais (para duas pessoas)

Envolto em molho um tanto engordurado, chama atenção pelo frescor das verduras, um misto de acelga, brócolis, couve-flor e cenoura, e pelo bom tempero da carne bovina e do frango. Infelizmente, essas qualidades foram ofuscadas pela massa molenga demais.

9º - Yakissoba Yah - 10 reais

A casa serve, em recipiente de papel, a versão de carne, frango e vegetais, salpicada de cebolinha fresca. É possível escolher entre os molhos chinês (de shoyu) e japonês (acrescido de açúcar). Na hora do preparo, o cozinheiro se descuidou e o macarrão veio mole e grudado.

10º - Rei dos Reis - 11, 50 reais (para duas pessoas)

Além de carne e frango, o macarrão leva pedaços de porco. De textura muito firme, tinha gosto de queimado. A porção de molho foi insuficiente para cobrir o prato. Outro ponto negativo: o atendimento é rude e desatento. No dia da visita, a garçonete esqueceu-se de oferecer hashis.

Fonte: VEJA SÃO PAULO