Eleições

Tiririca é o preferido de eleitor de São Paulo para a Câmara

Palhaço é seguido por Celso Russomano e Paulo Maluf, mostra pesquisa Ibope

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

O deputado federalTiririca durante sessão para eleger o novo presidente da Câmar
Deputado Federal mais votado em 2010, o palhaço Tiririca quer se reeleger (Foto: Divulgação)

O palhaço Tiririca (PR), recordista de votos na última eleição, é o preferido do eleitor paulista para voltar à Câmara dos Deputados, segundo pesquisa Ibope. Em 2010, ele foi eleito com mais de 1,35 milhão de votos.

Após patada em Aécio Neves, Luciana Genro vira meme

Atrás de Tiririca aparecem os também deputados Celso Russomano (PRB), Paulo Maluf (PP), Baleia Rossi (PMDB) e Marco Feliciano (PSC), todos cumprem mandato atualmente.

Celso Russomano
Russomanno: ganhou fama ao defender o consumidor na televisão (Foto: Ernestro Rodrigues)

Celso Russomano, que ganhou fama como o defensor do consumidor no telejornal “Aqui, Agora”, no SBT, foi um dos principais candidatos à prefeitura de São Paulo em 2012, chegando até a liderar pesquisas de intenção de votos.

Paulo Maluf (PP), que teve a candidatura barrada pelo Tribunal Regional Eleitoral, aguarda decisão de recurso impetrado no Tribunal Superior Eleitoral. Como o processo não foi transitado em julgado, ele pode continuar com a campanha. Em novembro do ano passado, Maluf foi condenado pelo Tribunal de Justiça por irregularidades na construção do túnel Ayrton Senna, em 1996, quando administrava a capital paulista. O caso se enquadrou na Lei da Ficha Limpa.

Paulo Maluf
O ex-prefeito de São Paulo Paulo Maluf (Foto: Mario Rodrigues)

Baleia Rossi, que é deputado estadual por São Paulo há três mandatos, é filho de Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura do governo Dilma, que foi demitido após suspeitas de irregularidades.

Durante seu mandato, o pastor Feliciano foi pivô de várias polêmicas, principalmente quando presidiu a Comissão de Direitos Humanos da Câmara e pôs em votação um projeto de “cura gay”, medida que previa o fim do veto a tratamentos psicológicos que se propõem a reverter a homossexualidade. O projeto não foi adiante. 

Marco Feliciano
Deputado Marco Feliciano (Foto: Divulgação)

Fonte: VEJA SÃO PAULO