Crianças

Para ver e ouvir: dois espetáculos com trilha sonora executada ao vivo

Confira Operilda na Orquestra Amazônica e Era Uma Vez um Gigante: duas apresentações bacanas para a garotada, em cartaz na cidade

Por: Bruna Ribeiro

Operilda na Orquestra Amazônica
Operilda na Orquestra Amazônica: em cartaz no teatro Eva Herz (Foto: João Caldas)

Dois espetáculos em cartaz na cidade apresentam trilha sonora executada ao vivo. Saiba mais sobre Operilda na Orquestra Amazônica e Era Uma Vez um Gigante abaixo:

  • Depois de fazer sucesso durante seis anos como protagonista na série Aprendiz de Maestro, a feiticeira Operilda (interpretada pela atriz Andréa Bassitt) retorna aos palcos. E volta a explorar o universo da música clássica para crianças nesta montagem, que apresenta a história de composições eruditas brasileiras. A atrapalhada personagem ganha de presente um livro mágico chamado Livrildo, cheio de informações sobre os compositores nacionais. É então lançado o desafio: se Operilda conseguir explicar todo o seu conteúdo em apenas uma hora, Livrildo se transformará em uma orquestra. Colorida e dinâmica, a peça prende a atenção da garotada — seria ainda melhor, porém, se a participação da plateia fosse requisitada mais vezes. Responsável também pelo texto, Andréa é acompanhada por seis músicos. No repertório aparecem temas como Ô Abre Alas, de Chiquinha Gonzaga, e arranjos de O Guarani, de Carlos Gomes. Estreou em 14/4/2013. Até 16/10/2016.
    Saiba mais
  • Em março do ano passado, o Grupo Tiquequê, há catorze anos na estrada, fez sessões lotadas no Sesc Consolação para mostrar as faixas do CD Era uma Vez um Gigante (2012). Agora, a banda formada por Diana Tatit, Bel Tatit, Angelo Mundy e Wem sobe ao palco com a missão de registrar o colorido espetáculo em DVD. A gravação ocorre na apresentação de domingo (21/6). No palco, a talentosa trupe alterna teatro, brincadeiras com a plateia e narração de histórias para exibir versões de clássicos, como A Rosa e o Cravo, baseado na conhecida cantiga popular, e faixas autorais. Entre elas, uma das melhores é a graciosa O Gigante, sobre o dia a dia de um homem enorme. As canções que usam percussão corporal também divertem. A melodia de Quero Começar, por exemplo, é criada com sons de passos, palmas e do contato das mãos com a boca, as pernas e o peito. Apenas no segundo dia, fazem participações especiais a turma do Barbatuques e Paulo Tatit e Sandra Peres, do Palavra Cantada. Dias 20 e 21/6/2015.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO