Especial 458 anos

A São Paulo que surpreende

Treze fotógrafos mostram cenas de uma cidade que ficou definida como dura e impessoal, mas que também pode ser simples e humana

Por: Thomaz Souto Corrêa - Atualizado em

Especial 458 anos - CAPA - 2253
Parque do Ibirapuera: combinação de arquitetura e cor (Foto: Fernando Moraes)

Houve um tempo em que, dizia a canção, São Paulo “num só minuto”, era “o Brás, Tietê, viaduto; barracas de flores, e as multidões”. Tinha mais, cantava Inezita Barroso em 1954: “os pardais em madrigais, e o sol rasgando a cerração”. São Paulo era também a “cidade da garoa, São Paulo que coisa boa”.

+ Click SP: confira a galeria de fotos em tamanho gigante

+ 30 atrações para comemorar o aniversário de São Paulo

Como mudou, a cidade do quarto centenário! Virou “o túmulo do samba, a selva de concreto, a cidade que não para, a locomotiva do Brasil”. “Praia de paulista”, brincam os alienígenas, “é shopping center”. Mas em compensação se tornou a capital do luxo, da gastronomia, do consumo, a vanguarda da moda.

O preço foi alto: sujaram o Tietê, e as multidões, bem, essas aumentaram muito. O barulho do trânsito congestionado abafou os madrigais dos pardais, e o sol não rasga mais a cerração: atravessa a poluição.

+ Enquete: vote na foto que mais tem a cara de SP

+ São Paulo, 458 anos: qual o seu lugar favorito na cidade?

Nada disso nos surpreende. É a cidade em que vivemos, que defendemos, que admiramos. Não é mais a cidade de um só minuto, é a cidade de todo minuto. Onde habitam todos os óbvios: o bonito e o feio, o rico e o pobre, o moderno e o antigo.

VEJA SÃO PAULO pediu a treze fotógrafos que ilustrassem as contradições visuais da megalópole. Que buscassem a São Paulo que não liga para os lugares comuns com que foi definida desde o tempo dos pardais em madrigais. A São Paulo que foge do óbvio.

O resultado é uma sequência de fotos surpreendentes, não só porque desmentem os chavões vigentes, mas porque apresentam uma cidade menos grandiosa, mais humana, de um cotidiano mais simples, talvez atemporal. Retratos de uma cidade desconhecida.

+ Ampliações das fotos publicadas nesta edição fazem parte de exposição

Conheça os fotógrafos participantes

Especial 458 anos - CAPA - 2253
(Foto: Veja São Paulo)

BOB WOLFENSON

Morador do Pacaembu, Wolfenson, de 57 anos, é um dos maiores nomes da fotografia de moda do país. Publicou os livros “Jardim da Luz”, “Encadernação Dourada/Antifachada” e “Apreensões”.

MARIO RODRIGUES

Fotógrafo de VEJA SÃO PAULO desde 1999, o paulistano de 39 anos já colaborou com outras publicações da Editora Abril, caso de PLAYBOY, PLACAR e GUIA DO ESTUDANTE.

IATÃ CANNABRAVA

Coordenador do Estúdio Madalena, que organiza o Festival Internacional Paraty em Foco, paulistano, 49 anos, é autor da série “Uma Outra Cidade”, na qual aborda a periferia de grandes cidades latino-americanas.

 

Especial 458 anos - CAPA - 2253
(Foto: Veja São Paulo)

CÁSSIO VASCONCELLOS

Nascido em São Paulo há 46 anos, consagrou-se, sobretudo, com registros da cidade em mostras como “Noturnos”. Tem obras nas coleções do MAM e do Masp, entre outras.

KLAUS MITTELDORF

Fotógrafo desde a infância, Mitteldorf, de 58 anos, começou clicando surfe e já trabalhou com moda e publicidade. Participou de mostras individuais e coletivas e atualmente prepara o longa-metragem de ficção “Rio-Santos”. Vive em Pinheiros.

ROBERTO WAGNER

Paranaense de Ponta Grossa, Wagner, de 53 anos, desenvolve trabalho autoral com fotografia desde 1991. Colabora também no setor editorial, em revistas como Casa Vogue, “Wish Report”, “Trip” e “Mag!”.

 

Especial 458 anos - CAPA - 2253
(Foto: Veja São Paulo)

FLAVIO SAMELO

Além de fotografar tribos como as dos skatistas e grafiteiros, o profissional criado no Jaçanã e residente no Paraíso mantém uma agência de consultoria criativa, a Flourish Estúdio. Já colaborou com “Folha de S.Paulo”, “Revista MTV” e “Rolling Stone”.

ILANA BESSLER

Pós-graduada em fotografia, a carioca de 34 anos mantém uma consistente carreira de curadora. Já realizou ensaios para empresas de comunicação e publicidade.

FERNANDO MORAES

Os jornais “Notícias Populares” e “Folha de S.Paulo” são alguns dos veículos nos quais já trabalhou. Paulistano de 38 anos, ele é fotógrafo de VEJA SÃO PAULO desde 2006.

 

Especial 458 anos - CAPA - 2253
(Foto: Veja São Paulo)

ROBERTO LINSKER

Autor dos livros “Mar de Homens” e “O Mar É uma Outra Terra”, paulistano, 47 anos, é colaborador da revista NATIONAL GEOGRAPHIC BRASIL.

TUCA VIEIRA

Formado em letras pela FFLCH-USP, integrou a equipe de fotografia da “Folha de S.Paulo” entre 2002 e 2009. Vieira tem 37 anos, vive na Praça Roosevelt e apresentou recentemente a mostra “Berlinscapes”, na Fauna Galeria e na “1500 Gallery”, de Nova York.

NELSON KON

Paulistano de 50 anos, conhecido pelo registro de obras de arquitetos importantes, entre eles Lina Bo Bardi e Rino Levi, tem, desde 2005, imagens no acervo da prestigiosa Coleção Pirelli/Masp de Fotografia.

ARY DIESENDRUCK

Com um currículo que inclui um período de experiência em Londres, este fotógrafo paulistano de 48 anos realizou trabalhos editoriais para revistas e jornais, além de peças publicitárias.

Fonte: VEJA SÃO PAULO