Teatro

Quatro textos que já foram adaptados para o cinema

Trair e Coçar... É Só Começar está na lista

Por: Dirceu Alves Jr. - Atualizado em

Trair e Coçar... É Só Começar
'Trair e Coçar'...': em cartaz no Teatro Renaissance (Foto: Fábio Cerati)

Quatro textos teatrais que estão em cartaz na cidade já foram adaptados para o cinema. Confira:

 

  • Cultuado no meio teatral, o dramaturgo e roteirista americano Tracy Letts tem a obra divulgada no Brasil muito mais pelo cinema. Os dramas Álbum de Família, protagonizado por Meryl Streep e Julia Roberts, e Killer Joe – Matador de Aluguel, com Matthew McConaughey, são adaptações de densas peças de sua autoria. Escrito em 1991, o original desse último filme ganha a primeira encenação brasileira em uma eletrizante e vigorosa montagem dirigida por Mário Bortolotto. Perseguido por traficantes, um jovem (papel de Gabriel Pinheiro) elabora um plano para salvar a própria pele e envolve a família na jogada. Para isso, ele contrata um matador de aluguel (Carlos Carcarah), que se encanta com a irmã do rapaz (Ana Hartmann, que se reveza com Gabriella Spaciari) e passa a conviver com o pai (o ator Fernão Lacerda) e a madrasta deles (Aline Abovsky). Fracassados por natureza e sem chance de redenção, os personagens de Letts se adaptam perfeitamente ao universo de Bortolotto, que não economiza no realismo e extrai surpreendentes interpretações do elenco. Trata-se de uma história destinada a quem tem estômago forte, levada ao palco com similar intensidade. Estreou em 13/6/2014. Até 10/3/2016.
    Saiba mais
  • A Cia. Caxote inaugurou um espaço próprio na Pompeia com uma releitura de Navalha na Carne, de Plínio Marcos (1935-1999). Dirigidos por Fernando Aveiro, os atores Bárbara Salomé, Murilo Inforsato e Humberto Caligari protagonizam o drama rebatizado de Por Acaso, Navalha, mas bastante fiel ao original de 1967. O bom trio de intérpretes mostra a história da prostituta Neusa Sueli e seu cafetão, Vado, que a acusa de não repassar o lucro da noite anterior, em atrito com Veludo, o faxineiro da pensão onde moram. O realismo atinge o ápice e renova a batida trama. Vinte espectadores são transportados para um cenário-instalação que representa o quarto da protagonista, e o mérito da montagem consiste na proposta de aproximação entre público e elenco. Estreou em 3/5/2014. Até 4/8/2014.
    Saiba mais
  • Este clássico contemporâneo escrito pelo americano Edward Albee consegue manter uma intensa visibilidade desde o lançamento, em 1962. O drama chegou ao cinema quatro anos mais tarde, com Elizabeth Taylor e Richard Burton, e teve consagradas montagens no Brasil. Agora é a vez de Zezé Polessa e Daniel Dantas superarem com louvor o desafio de recriar os problemáticos Martha e George, juntos há 23 anos e sem nem um pingo de respeito mútuo. Depois de uma festa, eles recebem em casa um jovem casal (Erom Cordeiro e Ana Kutner) para a saideira. O nível de álcool sobe e segredos surgem sem poupar constrangimentos. Dirigido por Victor Garcia Peralta, o espetáculo canaliza força na irretocável e ainda surpreendente dramaturgia, muito bem trabalhada pelo quarteto. Por mais de duas horas, Zezé e Dantas encaram uma gangorra de sentimentos com diálogos devastadores e cedem espaço para que Cordeiro e Ana brilhem em papéis que evidenciam o potencial de ambos. Estreou em 25/4/2014. Até 27/7/2014. Casais estrelados: no Brasil, a peça foi protagonizada pelas duplas Cacilda Becker e Walmor Chagas (em 1965), Tônia Carrero e Raul Cortez (1978) e Marieta Severo e Marco Nanini (2000).
    Saiba mais
  • Sucesso há 30 anos, a comédia de Marcos Caruso é baseada na suspeita de adultérios múltiplos. Uma empregada (papel de Anastácia Custódio) envolve seus patrões e dois casais em confusões. Com Ivan de Almeida, Carla Pagani, Tânia Casttello, Miguel Bretas e outros. Estreou em 24/8/1989. Até 11/12/2016.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO