Memória

Publicitário Daniel Barbará morre ao 68 anos

Um dos mais renomados profissionais da publicidade brasileira não resistiu a complicações após um transplante no fígado

Por: Veja São Paulo

Daniel Barbara
Daniel Barbará, na agência DPZ, em 1997 (Foto: Leonardo Colosso/Folhapress)

Daniel Barbará, um dos mais renomados profissionais da publicidade brasileira, morreu na quinta-feira (26), em Fortaleza, aos 68 anos, por complicações após transplante de fígado. Barbará teve passagens pela McCann, DPZ, onde ficou por 26 anos, Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil e Rede Record.

O velório será realizado neste sábado (28), a partir das 8h30, no Cemitério do Araçá e a cremação será no Crematório da Vila Alpina.

Nascido em 21 de fevereiro de 1947, no Rio de Janeiro, chegou a estudar medicina veterinária na Universidade Federal Fluminense –curso que abandonou– antes de ingressar no mercado publicitário.

Trabalhou primeiramente na Record Propaganda e depois seguiu para a agência McCann. Mas foi na DPZ que se dedicou por mais tempo, 26 anos no total. Foi por essa agência que recebeu o prêmio Caboré de Profissional do Ano em 1985 e o Profissional de Mídia em 1986.

+ Confira as últimas notícias

Deixou a DPZ para trabalhar na Companhia Brasileira de Multimídia (CMB), sendo o responsável pelos jornais Gazeta Mercantil e Jornal do Brasil.

Barbará foi atuante em entidades do mercado, como o Instituto Verificador de Circulação (IVC) e o Grupo Mídia São Paulo, onde foi presidente por três mandatos. Em 2000, representou o Brasil no júri do Media Lions, no Festival de Cannes.

Barbará deixa a mulher, a também publicitária Maria Lucia Cucci, diretora de mídia da agência Tudo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO