Passeios

O que acontece neste sábado (28): cinema

Selecionamos alguns filmes para assistir hoje

Por: Redação VEJINHA.COM - Atualizado em

Os Vingadores
'Os Vingadores': os galãs Chris Evans e Robert Downey Jr. como Capitão América e Homem de Ferro (Foto: Divulgação)

+ O que fazer neste sábado (28)

  • Resenha por Miguel Barbieri Jr.: Inspirado em caso real, o drama apresenta a história do jovem inglês Colin Clark (Eddie Redmayne). Em 1956, aos 23 anos, o educado rapaz vindo de uma abastada família procura sua independência e vai bater na porta do prestigiado ator e diretor Laurence Olivier (Kenneth Branagh). De tanto insistir, acaba arranjando uma vaga de terceiro assistente de direção do novo filme da produtora, "O Príncipe Encantado". Seria um emprego comum se a estrela da fita não fosse a deslumbrante e já muito famosa Marilyn Monroe, em sua primeira produção fora dos Estados Unidos. A relação entre Clark e Marilyn tende a ficar cada vez mais estreita quando a atriz, casada com o escritor Arthur Miller (Dougray Scott), demonstra interesse no novo amigo. Embora em nada lembre Marilyn, a mignon Michelle Williams, candidata ao Oscar, faz uma boa composição de personagem, mais escorada no comportamento instável do que no físico da diva. Correto e sem maiores pretensões, o filme também acerta ao mostrar as várias faces da protagonista — da humildade aos chiliques, da carência à fragilidade emocional, do talento nato para a comédia à exuberância como símbolo sexual. Estreou em 27/04/2012.
    Saiba mais
  • Na primeira cena do drama, o casal Simin (Leila Hatami) e Nader (Peyman Moadi) está de frente para um juiz. Ela precisa do divórcio para se mudar de país com Termeh (Sarina Farhadi), a filha adolescente. Como ele se recusa a assinar os papéis, o caso fica sem conclusão. Nader não quer sair do Irã e deixar seu pai, debilitado pela doença de Alzheimer. Na se quên cia seguinte, Simin faz as malas e volta a morar com sua família, e Nader contrata Razieh (Sareh Bayat) para cuidar do velho doente. Sem nenhuma experiência como enfermeira, Razieh tenta ajudar o marido desempregado (Shahab Hosseini) nas despesas. Um descuido dela vai desencadear uma série de segredos, mentiras e mal-entendidos. Vencedora do Globo de Ouro e do Oscar de melhor filme estrangeiro, a fita saiu do Festival de Berlim 2011 com o Urso de Ouro e o Urso de Prata para os quatro protagonistas (Leila, Sareh, Moadi e Hosseini). Todas as recompensas têm justificativa. O enredo, plural e realista, faz emergir um magnífico tratado das relações humanas. É como se, a cada reviravolta, o realizador exigisse da plateia uma posição sobre os variados assuntos. O tema da separação, enfim, torna-se um mero detonador de conflitos cada vez maiores e irresistivelmente fascinantes. Estreou em 20/01/2012.
    Saiba mais
  • Resenha por Miguel Barbieri Jr.: O enredo é conhecido. Nos tempos atuais, um caçador de tesouros (Bill Paxton) está à procura de um colar de diamantes entre os escombros do Titanic. A joia pertencia a Rose DeWitt, uma centenária senhora interpretada por Gloria Stuart, que relembra onde tudo começou. A ação volta a 1912, quando o transatlântico partiu em sua viagem inaugural, da Inglaterra para Nova York, levando 2 200 passageiros. O foco do roteiro recai sobre a improvável paixão da bem-nascida Rose (Kate Winslet), noiva de um almofadinha milionário (Billy Zane), pelo desenhista pobretão Jack Dawson (Leonardo DiCaprio). Foi, provavelmente, sem muito conforto nem projeção adequada que os espectadores viram nos cinemas, em 1998, a fita dirigida por James Cameron, vencedora de onze prêmios no Oscar. A versão em 3D não é um caça-níquel e pode arrancar aplausos após a sessão. Ainda impecável sob o ponto de vista técnico, o drama romântico apresenta uma trama de amor irresistível e, mesmo quinze anos depois, os efeitos visuais arrebatam. Com tecnologia avançada e bem mais preparados, as cinemas agora oferecem uma atração à altura da excelência do longa-metragem. Reestreou em 13/04/2012.
    Saiba mais
  • Resenha por Miguel Barbieri Jr.: No novo longa-metragem do diretor italiano de "O Quarto do Filho" (2001), a história tem um fundo dramático, mas ganha tratamento bem-humorado. Depois da morte do Papa, o conclave do Vaticano se reúne para escolher um sucessor. Na hora de apresentá- lo aos fiéis na Praça São Pedro, o substituto (papel de Michel Piccoli) tem um surto e sofre uma crise de identidade: estaria ele preparado para ser o representante de Deus? Para ajudá-lo a resolver o problema, surge um psicanalista, interpretado pelo próprio diretor. Estreou em 16/03/2012.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO