Instituto Royal

Polícia procura beagles levados por ativistas

Caso foi registrado como furto na delegacia de São Roque

Por: Nataly Costa - Atualizado em

O resgate de cachorros que eram cobaias em testes farmacêuticos em uma empresa de São Roque, no interior de São Paulo, virou caso de polícia. A delegacia central da cidade tem dois boletins de ocorrências do caso: um, feito por uma ativista, foi registrado como maus tratos a animais. Outro, de iniciativa dos donos da empresa (chamada Instituto Royal), que foi invadida pelos ativistas, trata o caso como furto qualificado. 

Agora, a polícia vai usar imagens das câmeras de segurança do local para tentar identificar os ativistas e encontrar os cachorros que foram levados. O Instituto Royal disse que também foram furtados equipamentos eletrônicos da empresa, mas não sabe quantificar quantos objetos foram levados nem quantos animais. 

O outro boletim que trata do caso como maus tratos afirma que denúncias anônimas levaram ativistas da Frente Antivivisseccionista do Brasil ao instituto, que fica na Rua Basílio Puntel, em São Roque. Segundo testemunhas, gritos de animais eram ouvidos diariamente vindos do local. A denúncia dá conta de que cães e ratos eram sacrificados no local após os testes. 

A Polícia Científica fará uma perícia no Instituto Royal.  

beagle royal
Ativistas mostram maus tratos em cães do Instituto Royal (Foto: Reprodução/Facebook)

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO