Terraço Paulistano

Reduto de milionários, balada Pink Elephant fecha as portas

A última festa será no sábado (26), com discotecagem do apresentador Tiago Leifert

Por: João Batista Jr. [com reportagem de Catarina Cicarelli]

Giuliano de Luca - Pink Elephant
Giuliano de Luca: casa chegou a faturar 2 milhões de reais por mês (Foto: Fernando Moraes)

A balada Pink Elephant não terá mais franquia na cidade. Com faturamento mensal que oscilou entre 300.000 e 2 milhões de reais — 5% do montante era enviado à matriz americana —, a casa decidiu não renovar o contrato. A última festa da Pink será no dia 26, com discotecagem do apresentador global Tiago Leifert. Depois disso, o local vai fechar as portas, passar por uma reforma e reabrir com outro nome. O público da nova boate será o mesmo: os muuuito ricos. Composto de oito pessoas, o quadro acionário deve mudar. Hoje, Cássio Gebara é dono de 60% e Giuliano De Luca, de 22%. Nos dois anos de atividade, o maior percalço da boate ocorreu em maio do ano passado. Foi quando a prefeitura a lacrou por falta de alvará de funcionamento.

Fonte: VEJA SÃO PAULO