Esporte

Pilotos mirins em Interlagos

Alunos de colégio da Saúde disputam uma inusitada corrida em Interlagos: o 1º Troféu de Carrinhos de Rolimã

Por: Filipe Vilicic - Atualizado em

Cenário de disputas estreladas por grandes nomes do automobilismo ao volante de máquinas de primeira grandeza, o Autódromo de Interlagos recebeu no último dia 30 rústicos veículos de madeira, controlados por um guidão nos pés. No comando, 62 pilotos mirins determinados a conquistar o alto do pódio do 1º Troféu de Carrinhos de Rolimã. Os competidores desceram a ladeira da Curva da Junção (parte da pista antiga do autódromo) em duas eliminatórias, seguidas da final vencida pelo estudante Lucas Vanin, de 14 anos. "Colocamos bastante peso perto das rodas dianteiras para aumentar a velocidade", disse o garoto sobre a estratégia de sua equipe. Ele e três amigos construíram o carrinho nas aulas de ciências do Colégio Santa Amália, na Saúde, onde cursam o 9º ano do ensino fundamental. "Demonstramos lições de física, como a lei da inércia, na prática", diz o professor Fernando Biscolla, criador da corrida, promovida há três anos pela escola particular – essa foi a primeira em Interlagos.

Biscolla idealizou o campeonato para os estudantes do 9º ano (que, naquela época, ainda se chamava 8ª série). Além da categoria principal, há uma segunda, a Força Livre, criada especialmente para pais, professores e alunos mais crescidinhos. Todos eles voltam a ser criança ladeira abaixo. "Recordo a infância e ainda me divirto com a família", afirmou o eletrotécnico José Alves Neto, de 52 anos, que participa com os filhos Bruno, de 19, ex-Santa Amália, e Carolina, de 14, do 9º ano. Alves compete desde a primeira edição, que ocorreu em ruas do bairro da Saúde. Uma parceria com o autódromo possibilitou a transferência para o reduto paulistano da velocidade. O plano para 2009 é mobilizar ainda mais jovens corredores, com a criação de um campeonato interescolar de carrinhos de rolimã. Se der certo, os melhores de cada instituição de ensino devem batalhar por um troféu no segundo semestre do ano que vem. Sinal de mais trabalho para Lucas Vanin e a equipe Tio Juca, que com a vitória se tornaram representantes de seu colégio num eventual torneio.

Fonte: VEJA SÃO PAULO