Exposições

Saiba quem foram as amantes de Picasso retratadas pelo pintor

Duas telas em cartaz no CCBB revelam mulheres que se relacionaram com o mestre cubista

Por: Laura Ming - Atualizado em

Picasso e a Modernidade Espanhola
Dora Maar e Picasso: relação que teve início nos anos 30 e durou quase dez anos (Foto: Reprodução)

O espanhol Pablo Picasso (1881-1973) foi um grande entusiasta das mulheres e não escondeu de ninguém o número de amantes que teve ao longo da vida. Com algumas levou a paixão a sério e se casou, com outras manteve breves casos, sem que a existência de uma impedisse a da outra. Na exposição Picasso e a Modernidade Espanhola, que traz ao CCBB peças do museu espanhol Reina Sofía, é possível ver duas telas em que o pintor as retrata.

Picasso e a Modernidade Espanhola
'Mulher Sentada Apoiada sobre os Cotovelos' (1939), de Pablo Picasso, é um retrato de Marie-Thérèse Walter (Foto: Coleção do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, Madrid © Succession Pablo Picasso / AUTVIS, Brasil, 2015.)

Em Femme Assise Accoudée (Mulher Sentada Apoiada sobre Cotovelos), Marie-Thérèse Walter serviu de modelo ao artista. Picasso a conheceu na rua, em janeiro de 1927, quando ela tinha apenas 17 anos. Ele já era um pintor famoso, tinha 45 anos, mas Marie-Thérèse não fazia a menor ideia de sua expressão no mundo das artes.

+ Projeto de arte urbana chama a atenção para problemas de bairros

Picasso e a Modernidade Espanhola
Marie-Thérèse Walter: uma das amantes do pintor (Foto: Reprodução)

Bonita, cheia de curvas, loira, com belos olhos azuis, a jovem chamou a atenção do pintor quando saía do metrô, num passeio pelas Galeries Lafayette, lojas de departamento parisienses.

+ Oito motivos para ver a mostra do Picasso no CCBB

Tudo teve início com uma conversa casual, até eles se tornarem amantes. O romance durou cerca de dez anos. Marie-Thérèse teria sido uma parceira sexual que satisfazia todas as fantasias e desejos eróticos do artista. Da relação nasceu Maria de la Concepcion, filha nunca reconhecida por Picasso.

Picasso e a Modernidade Espanhola
'Retrato de Dora Maar' (1939), de Pablo Picasso, outra musa marcante na sua vida (Foto: Coleção do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, Madrid © Succession Pablo Picasso / AUTVIS, Brasil, 2015.)

Dora Maar, pseudônimo de Henriette Theodora Marković, foi outra musa marcante na sua trajetória. Morena de olhos verdes, a francesa que cresceu na Argentina revelou ser uma talentosa poeta e, posteriormente, uma habilidosa pintora. Ajudou o amante a produzir sua obra-prima, Guernica (1937), cuja reprodução também pode ser vista no CCBB.

Quando descobriu que Picasso se encontrava com outras mulheres, Dora Maar teria enlouquecido e foi mandada para um hospital. Nunca mais se relacionou com homens e teria dito a seguinte frase: “Depois de Picasso, só Deus”.

Fonte: VEJA SÃO PAULO