Esporte

Conheça a rotina de oito personal trainers bonitonas da cidade

Por: Marcus Oliveira e Mayra Maldjian - Atualizado em

personal_abre
Conheça as oito finalistas do concurso da personal trainer mais bonita da cidade (Foto: Lucas Lima / Divulgação)

Depois do sucesso da enquete que apontou o garçom gato, chegou a vez das mulheres: que tal escolher a personal trainer mais bonita da cidade? Vasculhamos o casting das principais academias de ginástica em busca de beldades. Conheça abaixo as oito candidatas e participe da eleição clicando aqui.

+ Qual é a personal trainer mais gata da cidade? Vote aqui!

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

1. Alyne Soares, 27 anos, Competition – Oscar Freire. Emagrecer e definir. A personal trainer Alyne Soares tem o mesmo desejo de suas alunas da Competition, onde trabalha há um ano e meio. Apesar de estar com tudo em cima, ainda quer perder dois quilinhos. Se depender de sua rotina puxada, isso não vai ser difícil. Ela sai da cama às 5 horas, para onde volta só depois das 23 horas. Sem drama. Se entregar a essa profissão era seu sonho desde quando vendia planos de aulas em outra academia. Arrasa-quarteirão, aprendeu com o tempo a lidar com as cantadas de alunos. “Teve um que chegou a me oferecer dinheiro, foi muito ofensivo”, conta. Mas o caso é raro, garante. Aos engraçadinhos de plantão, dá uma risadinha e bola para frente. De todas as suas preocupações, a maior é com a alimentação. Bastante regrada, ela come praticamente a mesma coisa de segunda a sexta. De vez em quando, “libera uma massa” no sábado ou no domingo. “Eu tenho um pouco de tendência a engordar se descuidar”, afirma. “Parei de beber, o que me ajudou bastante.” Baladeira, adora pegar um “vale night” com o noivo e sair para dançar com as amigas em boates como a The Week e o Club A. “Vamos casar em breve”, anuncia. (vote aqui)

►Fita métrica: 1,57 m | 53 kg

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

2. Ana Maria Grechi, 25 anos, Bio Ritmo – Paulista

É difícil encontrar uma brecha na agenda da personal trainer paulistana. “Eu dou uma aula atrás da outra”, conta ela, que entrou na Bio Ritmo há cinco anos, quando ainda era estudante do curso de Educação Física. A labuta da loira começa cedo. Às 5h30 já está de pé. “Moro lá na Zona Leste, venho de metrô todo dia.” Como personal, costuma dar, em média, sete aulas particulares por dia, trabalho ao qual se dedica há três anos. “O bom de ser personal é que você acompanha a pessoa de perto, você realmente vê o resultado. Não é só estética, é qualidade de vida”. Dona de um corpo escultural, não sabe ao certo o quanto pesa. “Acho que é 58 kg, por aí”, arrisca. À tarde, separa uma hora e meia para treinar musculação. “Faço pouquíssimo aeróbio, senão fico magrela”, revela. Cuidadosa com a alimentação em dias úteis, ela se permite um pedaço de pizza no fim de semana. “Não sou noiada com isso.” O gasto com alimentação, inclusive, é o que mais pesa no seu bolso. “A região da Paulista é muito cara, vão 800 reais por mês só em comida.” Nas horas vagas, opta por passeios mais tranquilos, como ir a bares com as amigas e curtir a família. Solteirona, diz que leva mais elogios dos gays e reclama da falta de partidões na cidade. “Está difícil a situação, menina.” (vote aqui)

►Fita métrica: 1,65 m | 58 kg

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

3. Ana Nascimento, 29 anos, Reebok – Cidade Jardim. Nascida em Sergipe, veio para São Paulo quando tinha apenas 7 anos e carrega um charmoso sotaque arrastado. Praticante de esportes desde jovem optou pela faculdade de Educação Física, pois era o que "sempre soube fazer". Durante a graduação, passou por trabalhos em pizzaria, lanchonete e telemarketing, praticamente ganhando o que precisava para pagar os estudos. Entrou na academia como recepcionista, passou para a área de vendas e com a promoção conseguiu fazer cursos de especialização e, finalmente, dar aulas. Hoje, Ana atende dezesseis alunos individualmente, sendo a maioria homens, que desembolsam em média 140 reais por uma hora de seu tempo. Ela credita isso ao fato de montar um treino muito forte. "Já recebi cantada, sim, mas hoje já aprendi a lidar bem com isso. Dou uma de louca", afirma. Solteira, curte ir a festas na casa de amigos e dispensa baladas. Treina por 1h30 diariamente e tem uma grande vaidade: os cabelos. A gata acaba de voltar de uma viagem que fez por Miami, Califórnia, Las Vegas e Nova York e disse estar "radiante" por ser uma das finalistas do concurso. (vote aqui)

►Fita métrica: 1,68 m | 58 kg

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

4. Erica Nagayama, 32 anos, Competition – Paulista. Queria seguir carreira no mundo da dança, mas optou pela Educação Física, mesmo sem apoio da família. Ao começar o curso, descobriu o universo das academias e logo pegou gosto pela coisa. Trabalhando na rede há dez anos, tem uma filha de oito anos e saiu de Mogi das Cruzes com a pequena para a cidade há dois anos. Por conta disso, montou uma rotina para ter as noites livres. "Amadureci muito com o nascimento da minha filha. Mudou minha forma de ver a vida." Hoje ela conta com dezesseis alunos, que investem aproximadamente 100 reais por uma hora de treino.  Durante a gravidez, pasmem, perdeu muito peso e precisou lutar para aumentar uns quilos na balança. Solteira e bastante preocupada com o corpo, malha duas vezes ao dia, por 40 minutos, cuida da alimentação, controla as horas de sono e não abre mão da escova e manicure para dar aulas. "Me considero uma japa fora do comum. Fujo do padrão das orientais e gosto de ter curvas", afirma. Aproveita os momentos de folga para frequentar um templo budista e se dedica a um grupo de dança que coordena no local. Além disso, às vezes consegue escapar para uma balada sertaneja. Em relação às cantadas, diz reagir de forma bem humorada e confessa que não gosta de homens com aparência forte e nem de gordinhos. "Não curto muito tomar a iniciativa, mas faço. Assusta, os caras." (vote aqui)

►Fita métrica: 1,69 m | 61 kg

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

5. Erika Rossi, 28 anos, Bodytech – Shopping Iguatemi. Paulistana, entrou na rede de academias como estagiária e hoje trabalha nas salas de musculação, além de manter dez alunos com o trabalho de personal. Como diferencial, atende pessoas com objetivos diferentes da maioria do público que procura o serviço individualizado. Erika se especializou em dar treinos para pessoas com problemas articulares, cardiológicos ou metabólicos, como diabetes, por exemplo. Uma hora de sua aula sai por 120 reais. "Para se destacar é preciso ser apaixonado pelo que faz", garante. Aficionada por malhação, se exercita seis vezes por semana, aproximadamente duas horas por dia, e tem como hobby as aulas de circo que frequenta há um ano. Caseira, não curte balada e, sim, não dispensa bons rodízios de pizza ou comida japonesa. "Graças a Deus a genética ajuda, mas tenho que correr sempre atrás do prejuízo." Se considera pouco vaidosa e gosta de investir o dinheiro em roupas de ginástica. Sempre teve relacionamentos longos e agora está solteira. "Sempre me envolvi com pessoas do meu ramo. Gosto de homens inteligentes e com atitude." Quando recebe cantadas, logo trata de impôr seu estilo. Mesmo assim, já foi "vítima" de uma passada de mão, enquanto axiliava o oportunista no antigo emprego. "Começa a ter intimidade, eu mudo de assunto. Finjo que não é comigo." (vote aqui)

►Fita métrica: 1,58 m | 63 kg

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

6. Márcia Pedroso Caliente, 24 anos, Bio Ritmo – Continental e Cerro Corá. Dona de longos cabelos castanho-escuros, a paulista de Osasco não tem muito tempo para gastar no salão de beleza. Professora de pilates, dança, power jump, ginástica localizada, abdominal, correção postural e (ufa!) bike, ela começa a dar aula às 6 horas e só desacelera às 23 horas. “Eu só paro nas tardes de sexta, depois das 13 horas. É o tempo que eu tenho para virar menininha fazer a unha, a sobrancelha”, suspira satisfeita. Vaidosa, cuida do cabelo em casa e não gasta mais do que 250 reais por mês cuidando da aparência. Na mesma academia há seis anos, onde entrou ainda estagiária, Márcia largou o balé para se dedicar à profissão. Como personal trainer, tem dezoito alunos na faixa etária de 16 a 88 anos. “Eu adoro sair para almoçar com as minhas alunas, elas acabaram se tornando amigas.” Apesar dessa proximidade com os alunos, mantém uma postura que afasta os engraçadinhos. “Nunca levei cantada na cara dura porque não dou liberdade. Não uso roupas claras e nem decote, até prendo o cabelo para trabalhar. Não gosto de chamar a atenção quando estou trabalhando”. Ah, pode tirar o olho, ela namora há quatro anos um personal trainer. “Ele trabalha tanto quanto eu, acho que é por isso que dá certo!” (vote aqui)

►Fita métrica: 1,59 m | 50 kg

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

7. Nicole Lopes Moura, 28 anos, Bodytech – Shopping Eldorado. Formada em 2006, passou um ano na Austrália, onde aprendeu inglês e fez um aprimoramento para a profissão. Passou a fazer parte do casting da academia em 2009 e se especializou nas aulas de bike. Moradora da Granja Viana, mudou-se para um local mais próximo ao trabalho e isso a ajudou a formar uma rede de onze alunos que investem 140 reais por uma hora de aula. A principal característica de seu treino é a perda de peso e quem mais a procura quer usar o exercício como forma de terapia. “Meus alunos dizem que ter uma professora bonita motiva a treinar.” Já participou de etapas de triátlon e disputou a dura prova Iron Man. Se prepara agora para fazer uma viagem a França, onde irá disputar um importante torneio de bike. Solteira há dos meses, vem de um relacionamento sério e está se acostumando com a vida livre, reunindo os amigos em casa para cozinhar – peixe é sua especialidade – e curte sair para dançar música eletrônica ou samba. Vaidosa, adora usar cremes, toma vitaminas para o corpo e não é muito preocupada com moda. “Quando acho que estou ficando fora de moda vou na loja e compro roupas novas.” Para um homem chamar sua atenção, é preciso que ele seja vaidoso e, claro, tenha atividade física no dia a dia. (vote aqui)

►Fita métrica: 1,62 m | 56,5 kg

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

8. Raquel Albejante Pitta, 39 anos, Reebok – Vila Olímpia. Nascida em Mogi Mirim, mora em São Paulo há 5 anos. Fã incondicional de atividades físicas aprendeu desde cedo a amar esportes com o pai e o irmão, que são tenistas. Começou a trabalhar logo no segundo ano da graduação e hoje acumula uma agenda lotada com 15 alunos e horários que vão das 5h30 às 10h30 - haja fôlego. Ela afirma que o sucesso de seu treino é levar o aluno a atingir um visual slim. Para conseguir um tempo na agenda disputada de Raquel, os interessados devem se preparar para investir 200 reais por uma hora. Dona de um corpo invejável, não se considera vaidosa e utiliza apenas hidratante e protetor solar no dia a dia. "Minha vida é muito corrida para ficar duas horas em uma salão de beleza." Um defeito considerado grave pela professora é o consumismo. Parte disso se deve a um emprego de vendedora na Daslu, que conciliou com a vida de personal durante um tempo. Vindo de relacionamentos longos, Raquel ama praia, não é fã da noite, está solteira e diz que para alguém conquistar seu coração é preciso um critério: não falar de corpo. "Não tenho um perfil exato de homem. Gosto de pessoas saudáveis e que sejam simples. Nunca namorei ninguém da área", garante a quem quiser se candidatar. (vote aqui)

►Fita métrica: 1,71 m | 62 kg

Fonte: VEJA SÃO PAULO