Religião

Cidade de Aparecida se prepara para receber o papa Francisco

Localizada a 188 quilômetros da capital, o principal destino católico do país deve receber 200.000 fiéis para acompanhar a visita do sumo pontífice

Por: Júlia Gouveia - Atualizado em

Padre Valdivino Guimarãs - Religião 23331
O padre Valdivino Guimarães, membro do cerimonial: doze horas de trabalho por dia (Foto: Mario Rodrigues)

Desde maio, quando o Vaticano anunciou que o papa Francisco incluiria uma visita a Aparecida em um intervalo da viagem dele ao Rio de Janeiro para a 28ª Jornada Mundial da Juventude, o padre Valdivino Guimarães tem trabalhado uma média de doze horas por dia. Membro do comitê responsável pelo cerimonial da missa que o pontífice vai rezar na cidade localizada a 188 quilômetros de São Paulo, ele tem se desdobrado em múltiplas funções, que vão desde providenciar a roupa dos sacerdotes até escolher as flores para enfeitar o altar no dia (serão dez vasos de cerâmica forrados com antúrios brancos). A rotina do organista Silvio Lino dos Santos, coordenador da parte musical da celebração, também ficou mais pesada. Ela passou a ser preenchida por três ensaios semanais extras com uma equipe de 180 pessoas, entre orquestra e coral. O grupo repassa minuciosamente as catorze peças que vai apresentar na ocasião. Em vários locais por ali é visível o clima de preparativos acelerados. Na sala de produção de hóstias da basílica, por exemplo, as cinco chapas quentes estão ligadas na potência máxima. Para não correrem o risco de que algum fiel fique sem comungar, Regina Luz, irmã Maria Alice da Silva e Elaine Ribeiro, as funcionárias responsáveis, dobraram recentemente a capacidade da pequena fábrica: em três meses de atividades, elas conseguiram estocar cerca de 1,5 milhão de unidades. 

Luiz Henrique dos Santos - Casa da Bíblia - Religião 2331
Luiz Henrique dos Santos, da loja Casa da Bíblia: 2.000 peças encomendadas (Foto: Mario Rodrigues)

+ Memórias papais: as passagens de João Paulo II e Bento XVI por Aparecida

+ O roteiro sagrado de Francisco

+ Teste seus conhecimentos sobre o papa Francisco

Esses personagens representam apenas uma parte do contingente de pessoas que está mobilizado para recepcionar o papa Francisco, o argentino Jorge Mario Bergoglio. Vindo do Rio de Janeiro, ele ficará em Aparecida por aproximadamente sete horas na próxima quarta (24). Mesmo breve, sua presença deve atrair cerca de 200.000 fiéis. Muitos deles devem sair de São Paulo e cruzar a estrada para vê-lo de perto. Conhecido pela espontaneidade e habilidade em quebrar protocolos, Francisco fez questão de incluir a escapada até lá em meio a uma agenda lotada de compromissos. “Ele quer ter um momento de intimidade com Nossa Senhora”, entende dom Darci Nicioli, bispo auxiliar da arquidiocese e um dos responsáveis pela organização do evento. “O santo padre vem aqui com o único objetivo de orar, e não para ter encontros formais.” 

Maria Selma da Silva - Religião 2331
Maria Selma da Silva, responsável pela limpeza da Capela dos Apóstolos: supervisão na faxina (Foto: Mario Rodrigues)

Pouco depois de chegar de helicóptero (clique para ver o intinerário), ele rezará uma missa de uma hora e meia. Será o ponto alto de sua breve visita. A sugestão inicial da cúpula religiosa de Aparecida era que ela fosse feita ao ar livre, nas imediações da famosa basílica da padroeira do Brasil. Francisco preferiu realizá-la dentro do templo. Embora ele tenha capacidade para 30.000 pessoas, a celebração, ministrada em português, ficará restrita a 15.000 devotos. Desse total, 11.000 lugares serão reservados ao público em geral, que entrará por ordem de chegada. O restante será destinado a religiosos, autoridades e outros convidados. Quando tudo estiver terminado, o papa dará uma bênção da Tribuna Bento XVI aos fiéis que ficaram na parte externa do santuário. 

Regina Luz, irmã Maria Alice da Silva e Elaine Ribeiro - Religião 2331
Regina Luz, irmã Maria Alice da Silva e Elaine Ribeiro, funcionárias da sala da hóstia: mais de 1,5 milhão de unidades estocadas (Foto: Mario Rodrigues)

Em seguida, ele percorrerá, a bordo de seu carro adaptado, um trajeto de pouco mais de 1 quilômetro rumo ao prédio de estilo renascentista do Seminário Missionário Bom Jesus, onde almoçará com sua comitiva, dom Raymundo Damasceno, arcebispo de Aparecida, cardeais, alguns bispos da região e os seminaristas que ali estudam. Uma estátua de 8 metros de altura e 1,6 tonelada de São Frei Galvão está sendo restaurada em Pindamonhangaba, a cerca de 30 quilômetros de Aparecida, para ser levada ao seminário a tempo de receber a bênção papal. Um quarto ficará reservado para que o pontífice, se quiser, descanse antes de retornar ao Rio de Janeiro, às 16 horas. O percurso de volta para o heliponto também será a bordo do papamóvel, garantindo um momento de despedida entre Francisco e a massa de seguidores. 

Souvenirs de Aparecida - Religião 2331
(Foto: Mario Rodrigues)

Mesmo curta, a visita vem mexendo bastante com a vida da cidade nas últimas semanas. O comércio local, que reúne cerca de 500 lojas de artigos religiosos, encontra-se repleto de produtos que levam a imagem do papa, de camisetas a chaveiros. “Como a nomeação e o anúncio da vinda dele ao país foram bem repentinos, o mercado não teve tempo de criar peças muito originais”, conta Luiz Henrique dos Santos, sócio da loja Casa da Bíblia, uma das maiores de Aparecida. Ele encomendou para a ocasião cerca de 2.000 peças para oferecer aos turistas, com preços variando de 5 a 18 reais. 

Lazaro da Costa
O supervisor de obras Lazaro da Costa: manutenção da basílica (Foto: Mario Rodrigues)

A pedido do Vaticano, algumas obras urbanas estão sendo providenciadas no município, a exemplo da retirada das lombadas das ruas do trajeto entre a basílica e o seminário. “Não foi uma má ideia, pois os obstáculos estavam mesmo ultrapassados”, diz o prefeito, Márcio Siqueira. Cerca de 1,1 milhão de reais foram liberados às pressas no começo do mês pelo governo do estado para obras de recapeamento, pavimentação e sinalização das ruas. Gradis também serão colocados margeando as calçadas no caminho do papamóvel para evitar que as pessoas avancem sobre o asfalto. Outro ponto importante é a segurança. Em um esquema conjunto entre as polícias Federal, Civil e Militar e o Exército, milhares de homens farão o patrulhamento da área. Quem for assistir à missa precisará passar por um dos nove detectores de metal instalados especialmente para a ocasião nas portas da basílica.

Tabela - Roteiro Sagrado
(Foto: Veja São Paulo)

 Com uma população de 35 000 habitantes, o município do Vale do Paraíba, a 188 quilômetros da capital, recebe por ano 11 milhões de turistas, que vão visitá-lo para orar na casa da padroeira do Brasil. Francisco será o terceiro papa a ir até lá — João Paulo II esteve ali em 1980 e Bento XVI, em 2007. O supervisor de obras Lazaro da Costa testemunhou a comoção provocada por eles nessas ocasiões. “Eu me comunguei com os dois”, lembra, orgulhoso. Desta vez, ele não receberá o sacramento das mãos de Francisco. Como um dos 400 ministros de eucaristia, ajudará a distribuir as hóstias consagradas entre os que estiverem na missa. “Para os católicos, a devoção a Maria é muito ligada a Cristo, que é o centro da nossa fé”, explica o padre Valeriano dos Santos Costa, diretor da Faculdade de Teologia da PUC-SP. “Aparecida representa o encontro com esse espírito e, por isso, acaba sendo rota obrigatória dos papas em visita ao país.” 

Silvio Lino dos Santos - Religião 2331
Silvio Lino dos Santos cuida da programação musical da cerimônia: empenho redobrado para nada sair errado no dia (Foto: Mario Rodrigues)

Nesses momentos, uma série de pessoas comuns se sente tocada de forma especial pela incumbência de cuidar de detalhes importantes das visitas. É o que ocorre agora às vésperas da vinda de Francisco. Marceneiro há 25 anos, Anderson da Silva tem feito hora extra para dar conta da produção de 23 móveis que serão usados durante a cerimônia — entre eles, a cadeira do papa e o pedestal onde será colocada a imagem de Nossa Senhora. Dona de um bufê na vizinha Guaratinguetá, a banqueteira Vanessa Azevedo fará o almoço para o pontífice no Seminário Bom Jesus. “Convoquei minha família inteira para me ajudar a montar o cardápio”, diz a cozinheira. Os pratos escolhidos são mantidos em segredo por ordem dos organizadores — sabe-se apenas que frutos do mar foram vetados. “As pessoas pensam que vou servir receitas chiques, mas será tudo simples e com um toque regional”, afirma ela, que deixa escapar apenas que a refeição terá queijo e goiabada na sobremesa. 

Chef Vanessa Azevedo - Religião 2331
A chef Vanessa Azevedo, que vai preparar o almoço: sem peixes nem frutos do mar (Foto: Mario Rodrigues)

Francisco estará sempre cercado por muita gente, entre autoridades, líderes religiosos e fiéis, além de seguranças. Antes da missa, porém, ele pediu alguns minutos de privacidade para poder rezar sozinho na Capela dos Apóstolos. Em uma das paredes do ambiente, que fica localizado dentro da basílica, está embutido o pedestal giratório com a imagem original de Nossa Senhora Aparecida. Auxiliar de limpeza, Maria Selma da Silva é responsável por manter impecável a sala. Na véspera da chegada, ela fará o serviço acompanhada por uma supervisora. “Vou arrumar tudo com muito amor”, promete. “É emocionante participar desse momento.”    

Fonte: VEJA SÃO PAULO