ADMINISTRAÇÃO

Palácio dos Bandeirantes investiga desaparecimento de computadores

Máquinas estavam na creche que atende os filhos dos funcionários da sede do governo estadual 

Por: Estadão Conteúdo

Palácio dos Bandeirantes
Palácio dos Bandeirantes: computadores desapareceram de creche (Foto: Leonardo Wen/Folhapress)

O Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do estado de São Paulo, abriu uma sindicância para apurar o sumiço de três computadores que desapareceram entre a madrugada de segunda e a manhã de terça (29). Até a tarde desta quarta (30), a gestão Geraldo Alckmin (PSDB) ainda não havia registrado boletim de ocorrência na polícia.

Os computadores estavam na creche que atende os funcionários na sede. A unidade tem capacidade para até 60 crianças. Os equipamentos desapareceram sem que o local ficasse com sinais de arrombamento.

Cinquenta histórias e curiosidades sobre o Palácio dos Bandeirantes

O governador Alckmin mora no palácio, na ala residencial. O terreno tem 21 000 metros quadrados, cercados de grades e com câmeras de vigilância. Visitantes que entram no prédio, além de terem de se identificar, passam por controle com detectores de metal.

Câmara aprova aumento de IPTU para imóveis ociosos

Todos os veículos que chegam ao palácio têm as placas anotadas e os motoristas precisam informar um número de documento de identidade para poder entrar.

+ Confira as últimas notícias da cidade 

Em nota oficial, a Subsecretaria de Comunicação não trata o caso como furto. "Como não houve intrusão no palácio nem arrombamento na creche, é prematuro concluir se houve alguma modalidade de crime ou movimentação de patrimônio sem o devido registro", diz o texto.

Fonte: VEJA SÃO PAULO