Páscoa

Avaliamos dez ovos de chocolate ao leite de até R$ 35,00

Convidamos cinco especialistas para testar os produtos de dez marcas. Conheça o vencedor e confira em vídeo a degustação

Por: Sophia Braun - Atualizado em

O ovo de Páscoa dos sonhos de todo confeiteiro é assim: tem a casca brilhante e uniforme, apresenta sabor acentuado de cacau e derrete na boca como sorvete de massa em dias bem quentes. Na vida real, os doces nem sempre seguem essa receita. Para baratear a produção e aumentar a durabilidade, muitas empresas usam gordura hidrogenada e adicionam açúcar em excesso à guloseima.

+ Tudo sobre a Páscoa: ovos recheados, pratos com bacalhau e mais

Com o objetivo de avaliar a qualidade dos produtos à venda na cidade, convidamos cinco especialistas para uma degustação de ovos de chocolate ao leite, variedade mais consumida pelo paulistano.

O júri foi composto por Arnor Porto, chef-confeiteiro do restaurante e hotel Emiliano; Beatriz Marques, diretora da revista Menu; Guga Rocha, chef e apresentador do programa Homens Gourmet, no canal Bem Simples; Samara Trevisan Coelho, professora de confeitaria e panificação do Senac-São Paulo; e Helena Galante, crítica de Comidinhas de VEJA SÃO PAULO.

Teste dos ovos de Páscoa
O corpo de jurados: Helena Galante (à esq.), Beatriz Marques, Guga Rocha, Samara Trevisan e Arnor Porto (Foto: Redação VEJA SÃO PAULO)

Pensando na relação qualidade-preço, dois critérios principais conduziram a seleção das dez marcas testadas: só seriam aceitas versões de tamanho médio, com no mínimo 196 gramas, e os preços não ultrapassariam R$ 35,00, o equivalente a R$ 178,60 o quilo.

Para o espanto da reportagem, raríssimas opções assinadas por docerias tinham as características descritas. De uma lista de pelo menos dez endereços consultados, apenas a Chocolates Marghi, em Interlagos, e a Di Siena, em Perdizes, entraram na disputa. Entre as lojas de rede com apelo popular, participaram a Cacau Show, a Chocolates Brasil Cacau e a Munik, ambas com diversas unidades na capital. Ainda que os preços dos ovos industrializados, disponíveis nos supermercados, também estivessem salgados, as principais marcas foram contempladas. Engordaram a lista de concorrentes, portanto, Arcor, Garoto, Lacta, Nestlé e Top Cau.

Teste dos ovos de Páscoa
Os concorrentes: teste cego de dez ovos de chocolate ao leite (Foto: Adriano Conter)

Realizada no prédio da Editoria Abril, em Pinheiros, no último dia 15, a prova durou cerca de três horas. Os experts provaram todos os chocolates e, sem que um soubesse o voto do outro, atribuíram notas de 1 a 10 para cada ovo nas seguintes categorias: apresentação, textura da casca, aroma e sabor, este último quesito valendo o dobro. O resultado surpreendeu. Sagrou-se campeã, uma loja pouco conhecida, embora tradicional no mercado. Com 8,3 pontos, a Chocolates Marghi, em Interlagos, levou a melhor ao apresentar um ovo de superfície bem acabada e sabor fiel ao do cacau. “A qualidade é extremamente superior”, ponderou Guga Rocha. Feita artesanalmente, a guloseima de 200 gramas é a mais cara dentre as testadas. Custa R$ 32,00 a unidade ou R$ 160,00 o quilo.

Em segundo lugar, com 5,8 pontos, mais uma surpresa. O chocolate industrializado da Top Cau levou a medalha de prata. “A textura da casca e o brilho estavam dentro da média”, avaliou Beatriz Marques. Na loja de fábrica, montada no Pari apenas durante o período de Páscoa, a unidade com 400 gramas ganha preço promocional e custa sedutores R$ 16,00 — valor mais em conta da disputa. Apesar de menos famosa, a marca desbancou nomes de peso como Cacau Show, Arcor, Nestlé, Di Siena e Lacta, que ocuparam da terceira à sétima posição, respectivamente. Nas últimas fileiras do ranking, aparecem as sugestões da Munik, Chocolates Brasil Cacau e, em último colocado, a da Garoto, que teve desempenho de 3,1. “O doce era opaco, muito doce e repleto de falhas”, criticou Arnor Porto.

Veja abaixo na tabela a pontuação de cada ovo de Páscoa avaliado:

Páscoa 2013 - o teste dos ovos ao leite - tabela
(Foto: Renata Aguiar)

Fonte: VEJA SÃO PAULO