Shows

Novidades marcam a edição do Tim Festival

Com programação equivalente à da edição carioca, o Tim Festival concentra 21 atrações em dois palcos no Ibirapuera

Por: Pedro Ivo Dubra - Atualizado em

Duas novidades marcam a sexta edição do Tim Festival, aguardado evento que vai esgotar as economias dos fãs de jazz e música pop entre a terça (21) e o sábado (25). Primeiro: na contramão dos três últimos anos, a programação paulistana não ficará a dever nada à carioca. São 21 atrações aqui e 24 lá. Nomes nacionais garantem a ligeira superioridade do Rio – nenhum gringo deixará de vir a São Paulo desta vez. Entre as pedidas figuram o legendário sax tenor de Sonny Rollins, o rock de tintas psicodélicas da banda MGMT e o rap espalhafatoso de Kanye West, todos dos Estados Unidos, além da dançante new rave dos ingleses do Klaxons. Há espaço ainda para estilos diversos, como o do amalucado conjunto baseado em Nova York Gogol Bordello, que mescla punk rock e tradições ciganas, e para o seu conterrâneo The National, cujo som denso remete ao clássico Joy Division.

A grande surpresa do novo Tim, no entanto, tem cunho geográfico. Agora, todos os espetáculos se concentram no Parque do Ibirapuera (em 2007, as apresentações se dividiam entre a casa noturna The Week, o Auditório Ibirapuera e o Anhembi, distantes entre si). O intimista Auditório permanece em uso. Já os shows maiores ganham o abrigo da Arena Ibirapuera, estrutura coberta montada entre o prédio da Prodam e o Museu Afro Brasil, com capacidade para 4 000 pessoas. Os artistas passarão pelo local aos poucos, ao longo da semana. Essa distribuição mais espaçada foi pensada para evitar uma bagunça similar à que ocorreu no ano passado no Anhembi. Na ocasião, seis atrações de peso foram amontoadas num único dia. A troca de palco de Björk demorou uma hora, desencadeando atrasos sucessivos que culminaram na exibição do grupo The Killers às 4 da manhã. "Fizemos um acordo com a administração do parque e todos os shows da arena têm de terminar à meia-noite", afirma Monique Gardenberg, da Dueto Produções, empresa organizadora do Tim Festival. "Queremos respeitar essa condição para poder fazer o festival novamente no Ibirapuera em 2009."

Quem preferir o ambiente mais comportado do Auditório Ibirapuera só vai encontrar ingressos para duas das cinco noites. Uma das disponíveis fica a cargo da cantora baiana Rosa Passos, que cruza referências de MPB e jazz. A outra reúne os jazzistas Tomasz Stanko (Polônia), Enrico Pieranunzi (Itália) e Bill Frisell (Estados Unidos) em diferentes formações instrumentais. Para os que não garantiram a entrada de 250 reais, Sonny Rollins oferece uma segunda oportunidade gratuita na área externa da sala.

Confira a programação completa

Auditório Ibirapuera

Terça (21), 20h30

Sonny Rollins – Esgotado

Quarta (22), 20h30

Esperanza Spalding, Stacey Kent e Carla Bley – Esgotado

Quinta (23), 20h30

Marcelo Camelo e Paul Weller – Esgotado

Sexta (24), 20h30

Tomasz Stanko Quintet,

Enrico Pieranunzi Trio e The Bill Frisell Trio – R$ 150,00

Sábado (25), 20h30

Rosa Passos (foto) – R$ 30,00 e R$ 80,00

Arena Ibirapuera

Quarta (22), 21h

Kanye West – R$ 250,00

Quinta (23), 21h

Neon Neon e Klaxons – R$ 150,00

Sexta (24), 19h

Junior Boys, Dan Deacon, Gogol Bordello, Switch e DJ Yoda – R$ 60,00

Sábado (25), 21h

Cérebro Eletrônico, The National e MGMT – R$ 150,00

Área externa do Auditório Ibirapuera

Sábado (25), 11h

Sonny Rollins – Grátis

TIM FESTIVAL. Livre (show gratuito de Sonny Rollins) e 18 anos. Auditório Ibirapuera (800 lugares; área externa: 15 000 pessoas) e Arena Ibirapuera (4 000 pessoas). Parque do Ibirapuera, 2846-6000. Ingressos à venda pela Ticketmaster. Bilheteria (apenas para os shows do Auditório): 9h/18h (ter. a qui. e dom.); 9h/21h (sex. e sáb.). Os portões serão abertos uma hora antes dos shows. www.timfestival2008.com.br

Fonte: VEJA SÃO PAULO